piemonte fm

terça-feira, 1 de abril de 2014

Professor de jiu jitsu é procurado na Paraíba acusado de matar enteado de 1 ano, em Brasília

Durante os exames ainda no hospital, os médicos desconfiaram de espancamento e abuso sexual e denunciaram o caso à polícia
Polícia | Em 31/03/14 às 22h41, atualizado em 01/04/14 às 00h14 | Por Hyldo Pereira
Reprodução/ Facebook
Professor procurado na Paraíba
Uma avó desesperada para colocar na cadeia o professor de artes marciais Daryell Dickson Meneses Xavier, de 25 anos, que é o principal acusado de matar o neto de um ano e 11 meses, no Distrito Federal, iniciou uma campanha nas redes sociais e pede ajudar para localizar o acusado, que pode estar escondido em João Pessoa, conforme informou a avó do garoto, Márcia Estrela, durante entrevista ao programa Cidade Alerta Paraíba, TV Correio/Record HD.
O caso ocorreu nessa quinta-feira (27), mas Miguel Estrela Maceno veio a falecer no sábado (29) em decorrência de traumatismo craniano. Durante os exames ainda no hospital, os médicos desconfiaram de espancamento e abuso sexual e denunciaram o caso à polícia.
A hipótese do professor estar escondido em João Pessoa surgiu após a Polícia Civil do Distrito Federal descobrir que ele tem parentes na capital paraibana. Daryell Dickson era padrasto do menino. 
Em sua página na rede social, Márcia faz um desabafo e pede ajuda dos amigos para compartilhar a foto e o nome do agressor. "Estou aqui pra um apelo de uma avó destruída... quem souber do paradeiro desse monstro por favor nos ajude a colocá-lo atrás das grades. Esse homem matou meu neto. Nossa família está se preparando para divulgar tudo a respeito dele. Precisamos de todo o apoio para localizá-lo”, desabafou. 
Após o crime, os peritos estiveram na casa do professor e verificaram que havia indícios o suficiente para tê-lo como principal acusado pela morte do bebê. Essa desconfiança ganhou ainda mais força porque o padrasto não compareceu ao enterro da vítima, no fim da tarde desse domingo (30), nem deu mais notícias aos familiares. Exames confirmaram que o traumatismo foi provocado por uma "ação contundente. A Polícia Civil da Capital Federal espera o laudo pericial para descobrir o que provocou a fissura anal.
O padrasto, que dava aulas de jiu jitsu em duas academias, chegou a prestar esclarecimentos, mas a polícia percebeu informações conflitantes no depoimento dele e avançou nas investigações. A prisão temporária de Daryell Dickson foi decretada pela Justiça do Distrito Federal, mas ele ainda não foi localizado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário