piemonte fm

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Um ano após trauma, Lais quer morar em SP, mas sofre com acessibilidade


Ex-ginasta e esquiadora segue com sessões diárias de fisioterapia e comemora melhora na sensibilidade dos membros superiores após tratamento com células-tronco

Por Rio de Janeiro
Lais souza (Foto: Arquivo Pessoal)Lais faz fisioterapia em São Paulo nesta terça com auxílio de Denise Lessio (Foto: Arquivo Pessoal)
Em um ano, o conceito de vitória ganhou novos significados. Se antes a primeira ideia era associada a pódios e medalhas, agora Lais Souzaencara pequenos progressos físicos de forma parecida como vivenciava seu principais feitos como atleta. Desde 27 de janeiro de 2014, quando se acidentou em uma pista de esqui durante os treinamentos para os Jogos de Sochi, a ex-ginasta superou os momentos mais críticos de sua recuperação e ainda luta para recuperar os movimentos corporais do pescoço para baixo. As evoluções recentes – principalmente o aumento da sensibilidade nos membros superiores - a permitem sonhar com dias ainda melhores, e os planos mostram objetivos claros: um deles é voltar a morar no Brasil, tendo São Paulo como casa.
Nesta terça-feira, Lais está na capital paulista realizando uma bateria de exames para acompanhar sua condição física. Em fevereiro ela voltará ao Jackson Memorial Hospital, em Miami, onde realizou três séries de aplicações de células-tronco no ano passado, e será reavaliada pela equipe médica local. Só com base na análise destes dados é que as próximas etapas do tratamento serão definidas. Por enquanto, no Brasil, ela segue fazendo fisioterapia diariamente e comemorando as pequenas conquistas.
 Tenho a sensação de que meu corpo não para, que está sempre tentando contrair
Lais Souza
- Minha sensibilidade está bem melhor. Ainda não tenho a parte motora, mas a musculatura no bíceps, no antebraço e na mão está bem mais forte. É o maior progresso que venho sentindo. Tenho a sensação de que meu corpo não para, que está sempre tentando contrair. São minhas vitórias agora. Antes eu tinha movimento, força, uma entrega física, foco nas competições, acrobacias e tal. Hoje é diferente, é um foco mais interno no meu corpo, em tudo que sinto de diferente, cada pequena diferença. Eu sempre tenho o “plano A” de andar, caminhar, mas foco no meu dia a dia, no meu tratamento e na fisioterapia. Estou vivendo um dia após o outro, agora não posso ter erro – disse Lais, por telefone, ao GloboEsporte.com.
 A ex-ginasta chegou ao Brasil no dia 13 de dezembro, data em que completou 26 anos. Desde então segue uma rotina complicada, já que além das sessões de fisioterapia ela cumpre uma série de compromissos com patrocinadores e imprensa. Apesar da correria, Lais comemora a boa recepção que teve dos compatriotas.
Lais souza (Foto: Arquivo Pessoal)Lais vê aumento da sensibilidade e musculatura mais forte nos membros superiores (Foto: Arquivo Pessoal)
- Na verdade eu vim sentir o que estava acontecendo no Brasil, vim perceber qual seria a dificuldade. Algumas coisas surpreenderam, como o carinho das pessoas. O que estamos tendo de retorno e escutando todos os dias, que as pessoas estão rezando e pedindo para que eu melhore... Tem sido muito bom, tirando os problemas que estamos tendo.
Se o contato nas ruas está sendo positivo, com muitas mensagens de carinho e apoio, a logística ainda é um grande problema. O deslocamento em São Paulo foi facilitado pela doação de um carro adaptado pelo apresentador de TV Luciano Huck, mas a falta de acessibilidade na cidade é um grande obstáculo. 
Lais souza (Foto: Arquivo Pessoal)Lais recebeu recentemente a visita de Daiane dos Santos, que ajudou a alimentá-la (Arquivo Pessoal)
A fisioterapeuta e amiga Denise Lessio conta que qualquer simples deslocamento é complexo devido à má qualidade do asfalto, e os embarques e desembarques exigem tempo e paciência, já que ainda são poucos os lugares que possuem rampas e adaptações para receberem pessoas com mobilidade limitada. Esta é, inclusive, uma das grandes dificuldades na busca por um apartamento para alugar.
- Há lugares que ela frequentava e que hoje não é mais possível porque não tem uma entrada própria. Fora que as ruas são muito esburacadas. O carro está ajudando muito, mas mesmo a 20 km/h ainda chacoalha muito, ela bate a cabeça. É preciso muito cuidado para ela não se machucar durante o transporte, e fazer tudo com muita antecedência já prevendo esse tempo do trajeto lento. É complicado - desabafou Denise.
As dificuldades não se limitam ao deslocamento. Se nos Estados Unidos uma cuidadora auxiliava a mãe de Lais, agora Dona Odete acumula todas as atividades. O sacrifício em prol dos cuidados com a filha começaram exatamente há um ano, quando ela abandonou o trabalho de vendedora para viajar a Salt Lake City e acompanhar a recuperação em tempo integral.
- Eu tinha um emprego, mas larguei tudo para viver a vida dela. Eu tenho muita fé, e é o que me dá mais segurança. Eu agradeço todos os dias por qualquer sensibilidade, cada pouquinho que vai acontecendo, mesmo que devagar, porque ela está aqui comigo, viva e com saúde. É muito puxado porque tem as sondas, muitos remédios e é tudo muito caro. Gasta-se muito com um tetra (tetraplégico). Graças a Deus estamos tendo ajuda - disse Odete. 
No dia 13 de janeiro foi publicado no Diário Oficial da União a sanção da presidente Dilma Rousseff à lei que concede pensão vitalícia a Lais. Aprovada pelo Congresso Nacional no fim do ano passado, a lei proposta pela deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP)  prevê pensão mensal e vitalícia a Lais em valor equivalente ao limite máximo do salário de benefício do Regime Geral de Previdência Social: R$ 4.390,24. Como a sanção é muito recente, a família ainda não teve acesso ao dinheiro. Por enquanto, a atleta está se sustentando com recursos fornecidos pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), por patrocinadores e com a verba arrecadada na campanha “Força, Laís” – cerca de R$ 200 mil, de acordo com o pai da atleta.
Lais Souza, prêmio Brasil Olímpico (Foto: André Durão / Globoesporte.com)Lais Souza foi homenageada na cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico (Foto: André Durão / Globoesporte.com)
No dia 27 de janeiro de 2014, Lais treinava com a também ex-ginasta Josi Santos e o técnico Ryan Snow em uma pista de esqui em Salt Lake City. As brasileiras já haviam participado de todas as competições classificatórias do esqui aéreo para as Olimpíadas de Inverno de Sochi e aguardavam cortes das equipes que excediam o número limite de atletas por país com índice para confirmarem a vaga inédita para o Brasil na modalidade. O cenário se confirmaria, mas apenas Josi teria a oportunidade de competir. Naquela segunda-feira Lais perdeu o controle dos esquis e chocou-se com uma árvore, o que provocou uma torção na coluna cervical. 
O primeiro boletim médico divulgado pelo Time Brasil confirmava a perda dos movimentos dos braços e pernas, mesmo após as cirurgias que realinharam a coluna. Lais superou o risco de morte, conseguiu respirar sem a ajuda de aparelhos e deixou a UTI, sendo depois transferida para o Jackson Memorial Hospital, em Miami. Na nova fase da recuperação, a paulista passou a integrar um projeto pioneiro com células tronco. Após três sessões de aplicações, ela viajou ao Brasil pela primeira vez desde o acidente.
homenagem a lais souza sochi jogos de inverno (Foto: Reprodução/Facebook)À distância, Lais foi homenageada pela delegação brasileira nos Jogos de Sochi (Foto: Reprodução/Facebook)
- Os primeiros dias foram terríveis porque ela ainda estava correndo risco de vida, foram muito desgastantes. A liberação dela do aparelho de respiração foi a grande alegria, o alívio para a gente que estava distante. Depois fomos acompanhando as melhorias com relação aos movimentos, têm sido poucas e gradativas, mas graças a Deus, para o bem. Ela ter voltado para o Brasil foi muita alegria, apesar de a ter visto pouco devido a tantos compromissos. Mas estamos todos mantendo a esperança, ainda mais com essa possibilidade forte dela voltar a morar aqui perto  disse o pai, Antônio, que ainda vive com os dois irmãos de Lais em Ribeirão Preto.

Valor bloqueado pela Operação Lava Jato chega a R$ 118,8 milhões

.

Quantia não leva em conta valores recuperados em contas no exterior.

Do G1, em Brasília
A Operação Lava Jato bloqueou, até o momento, R$ 118.857.513,66 das contas e aplicações financeiras de três empresas e de 16 suspeitos de envolvimento no esquema de corrupção que atuava dentro da Petrobras. O bloqueio foi determinado em novembro do ano passado pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pela operação na primeira instância. A quantia não leva em conta os valores recuperados no exterior.
Entre os suspeitos que tiveram valores retidos judicialmente, estão o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque e o lobista Fernando Soares, conhecido como "Fernando Baiano" e apontado pelas investigações como operador do PMDB no esquema.
Nas contas e investimentos de Duque foram bloqueados R$ 4.045.446,63. Já Fernando Soares teve pouco mais de R$ 8 mil retidos pela Justiça.
O vice-presidente da construtora Engevix, Gerson de Mello Almada, foi o suspeito com o maior valor bloqueado entre todos os investigados: R$ 37.501.580,02. O valor é maior do que os R$ 20 milhões determinados por Sérgio Moro no ano passado e já foi motivo de contestação por parte da defesa de Almada.
A segunda quantia mais alta é do ex-presidente e ex-conselheiro da Queiroz Galvão, Ildefonso Colares Filho, que teve pouco mais de R$ 18 milhões bloqueados. Depois dele, o executivo com maior valor retido é o presidente da Área Internacional da OAS, Agenor Franklin Medeiros, que teve R$ 11,9 milhões bloqueados judicialmente.
Empresas
Até o momento, também foram bloqueados R$ 6,5 milhões nas contas da Hawk Eyes Administração de Bens; R$ 6,6 milhões nas contas da Technis Planejamento e Gestão em Negócios; e R$ 151,6 mil nas contas da D3TM Consultoria e Participações.
Em depoimento à Polícia Federal, o executivo Júlio Camargo, da Toyo Setal – fornecedora da Petrobras –, afirmou que Fernando Baiano é um dos sócios da Technis Planejamento e Gestão. Camargo também disse acreditar que a Hawk Eyes Administração de Bens seja de propriedade do cunhado de Baiano.
Veja abaixo os valores bloqueados pela Justiça:
Agenor Franklin Magalhães Medeiros, diretor-presidente da Área Internacional da OAS: R$ 11.999.872,66
Dalton dos Santos Avancini, presidente da Camargo Corrêa: R$ 3.378.789,68
Eduardo Hermelino Leite, vice-presidente da Camargo Corrêa: R$ 4.728.421,16
Erton Medeiros Fonseca, diretor-presidente de Engenharia Industrial da Galvão Engenharia: R$ 9.064.215,67
Fernando Soares, conhecido como "Fernando Baiano", lobista apontado como operador da cota do PMDB no esquema de corrupção: R$ 8.873,79
Gerson de Mello Almada, vice-presidente da Engevix: R$ 37.501.580,02
Ildefonso Colares Filho, ex-diretor-presidente da Queiroz Galvão: R$ 18.143.300,59
João Ricardo Auler, presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa: R$ 2.783.400,41
José Aldemário Pinheiro Filho, presidente da OAS: R$ 67.903,99
José Ricardo Nogueira Breghirolli, funcionário da OAS: R$ 691.177,12
Othon Zanoide de Moraes, diretor-executivo da Queiroz Galvão: R$ 1.148.552,68
Renato de Souza Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras: R$ 4.045.446,63
Ricardo Ribeiro Pessoa, presidente da UTC: R$ 10.504.126,98
Sérgio Cunha Mendes, diretor-vice-presidente-executivo da Mendes Junior: R$ 734.615,62
Valdir Lima Carreiro, diretor-presidente da IESA: R$ 32.366,77
Walmir Pinheiro Santana, responsável pela UTC Participações: R$ 663.964,87
Empresas:
D3TM Consultoria e Participações: R$ 151.647,42
Hawk Eyes Administração de Bens: R$ 6.565.741,41
Technis Planejamento e Gestão em Negócios: R$ 6.643.516,19

Grupo acampa na UFPB após seis gatos serem encontrados mortos

Ao todo, seis gatos foram encontrados mortos e outros estão desaparecidos.

Instituição aguarda resultado de perícia policial.

Do G1 PB
Defensores dos animais estão reversando no acampamento em frente à catina onde os gatos apareceram mortos (Foto: Alick Farias/Arquivo pessoal)Defensores dos animais estão reversando no acampamento armado em frente à catina onde os gatos apareceram mortos (Foto: Alick Farias/Arquivo pessoal)
Integrantes do grupo de defesa dos animais Adota, da Comissão Bem Estar do Animal e voluntários estão acampados desde a segunda-feira (26), na frente de uma das cantinas do Campus I, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa. A ação ocorre depois que seis animais foram encontrados mortos na instituição.
Segundo Poliana Dantas, uma das representantes do grupo, o objetivo da ocupação é evitar que proprietário da cantina retire objetos do local, uma vez que os animais foram encontrados mortos próximo ao estabelecimento, com sinais de envenenamento.
A Delegacia de Crimes contra o Meio Ambiente de João Pessoa instaurou um inquérito para apurar a morte dos gatos no Centro de Ciências da Saúde (CCS). De acordo com o delegado José Guedes Sobrinho, titular da delegacia especializada, perícias foram requisitadas, entre elas o exame toxicológico na ração que estava sendo dada aos animais.
No local foram armadas duas barracas, onde voluntários alternam horários em vigilância da cantina. De acordo com Poliana, o acampamento foi iniciado após uma pessoa que foi buscar uma gata e seus filhotes para adoção e encontrar os primeiros gatos mortos. "O gatos foram encontrados mortos próximo ao Centro de Ciências da Saúde. Outro estava se debatendo e também logo morreu. Além deste, um outro se alimentou de algo próximo da cantina e 30 minutos depois também morreu", relatou.
Poliana contou que cantina está interditada, mas o mal cheiro continua e há suspeita de que outros gatos que estão desaparecidos possam estar mortos no estabelecimento. Agora, uma perícia está sendo realizada com um veterinário em contato com Instituto de Polícia Científica (IPC), bem como também pela Polícia Federal. O resultado deverá ser divulgado em até 30 dias. "Esta investigação deverá nos levar aos responsáveis por esta mortandade de animais", disse Zélia Bora, presidente Comissão Bem Estar do Animal, da UFPB.
Nesta terça-feira (27), a reitora da UFPB, Margareth Diniz, foi até o local e prometeu que toda documentação necessária será entregue, segundo informaram os manifestantes. O coordenador de segurança e portaria da UFPB, Abraão Cavalcante, explicou que um boletim de ocorrência foi realizado, posteriormente a Polícia Ambiental interditou o ambiente e agora o resultado da perícia está sendo aguardado.
Para evitar novos casos como esse, Abraão explicou que trabalhos de conscientização sobre a importância dos gatos serão realizados em unidade com a comissão responsável.
O delegado Guedes Sobrinho lembrou que maus-tratos contra animais e outros crimes contra o Meio Ambiente podem ser denunciados à delegacia, que funciona de segunda a sexta-feira, na Central de Polícia, no bairro do Varadouro. As denúncias podem ser feitas pelo Disque Denúncia da Secretaria da Segurança e da Defesa Social por meio dos números 190 ou 197.

Em primeira mão: Veja como ficará o Parque do Poeta depois da conclusão da obra


A CODECOM (Coordenadoria de Comunicação) da Prefeitura Municipal de Guarabira, realizou na noite desta segunda-feira (26), uma reunião com os órgãos de imprensa que estarão fazendo a cobertura da Festa da Luz deste ano.
DSC_9595A equipe de organização da Festa da Luz deste ano realizou na tarde desta segunda-feira (26), um encontro com vários profissionais de imprensa de Guarabira e do Brejo, que estarão trabalhando na cobertura do evento. A reunião teve como objetivo passar todas as coordenadas visando facilitar ainda mais o trabalho que será desenvolvido pelos mesmos.
Na oportunidade, também foi apresentada uma maquete do Parque do Poeta Ronaldo Cunha Lima, mostrando como ficará o local quando toda a obra estiver concluída.
Durante a reunião também ficou acertado como funcionará a transmissão ao vivo que o Portalmidia.net estará fazendo em mais um ano de festa.
A diferença dos anos anteriores é que o local escolhido para a instalação dos equipamentos responsáveis por levar o som e as imagens da festa até os internautas, ficará ainda melhor, com condições de mostrar tanto o palco do Brega Luz, quanto os dois palcos principais do evento, com uma visão privilegiada.
Na cobertura das festividades deste ano, a nossa equipe estará formada por 10 profissionais, que se reversarão durante as quatro noites de festa, para levar aos internautas todos os detalhes que merecerem destaque.
DSC_9599

“Só a Paraíba tem a ousadia de dar reajuste ao servidores”, afirma governador

Aumento varia de 1% a 20%, que representa o acréscimo de R$ 14,3 milhões por mês na folha do estado

Gestão | Em 27/01/15 às 14h28, atualizado em 27/01/15 às 14h40 | Por Redação
Portal Correio
Ricardo Coutinho
O governador Ricardo Coutinho detalhou nesta terça-feira (27) como será o reajuste salarial de algumas categorias do funcionalismo público, anunciado nessa segunda-feira (26). O aumento varia de 1% a 20%, que representa o acréscimo de R$ 14,3 milhões por mês na folha do estado. Segundo ele “só a Paraíba está tendo a ousadia de dar reajuste”. 


“Gostaria muito de estar dando novamente o reajuste da inflação para a imensa maioria das categorias, mas infelizmente o estado não tem capacidade para isso, desta vez, neste mês de janeiro”, justificou.

Para os servidores da Segurança Pública o aumento foi de 5%. Segundo Ricardo Coutinho com o novo reajuste, os agentes penitenciários estão tendo um acréscimo de 55% quando comparado com o salário recebido em dezembro de 2010. “Em 2010, um agente penitenciário na 'classe A' tinha R$ 1.992 de remuneração. Hoje, com esse reajuste, ele vai para R$ 3.094, ou seja, um aumento de 55%. De quanto foi a inflação no período? Foi de 26%, mais que o dobro no ganho real de uma categoria importante”, disse.

Já os professores do 'nível 1 e classe A' com o novo valor do piso passaram a ganhar, de acordo com o governador, R$ 1.790. “Quase o dobro do que recebiam em 2010. O magistério ainda na 'classe E' no 'nível 7' em dezembro de 2010 tinha piso de R$ 1.625, agora vai para R$ 2.744 e em outubro, chegará a R$ 3.045. Um reajuste acumulado nesta gestão de 81% e sempre permanente”, explicou.

Outro aumento citado pelo governador foi os delegados da Polícia Civil. “O delegado de Polícia Civil na 'classe E', em dezembro de 2010, ganhava R$ 8.158. Agora, com esse reajuste vai para R$ 12.467, mais do que o dobro da inflação”, contou.

Ao todo, o Estado conta com 114 mil servidores públicos. Para os 7.467 funcionários da saúde o reajuste foi de 5%. O Fisco ficou com um aumento linear de 1% na remuneração e reajuste de 3% na Bolsa Desempenho dividido em quatro parcelas. Já os agentes fiscais tiveram um aumento de 50% na Bolsa Desempenho. 

Bandido arromba grade, invade casa e leva R$ 172 mil que estavam em guarda-roupas, na PB

Crime ocorreu na cidade de Sousa. Vítima não sabe quem pode ter feito o furto, já que nenhum outro local da casa foi revirado

Polícia | Em 26/01/15 às 21h42, atualizado em 26/01/15 às 21h42 | Por Halan Azevedo
Reprodução/Google Street View
Sousa
Cerca de R$ 172 mil foram furtados na tarde desta segunda-feira (26), de uma casa na cidade de Sousa, no Sertão paraibano e distante 444 km de João Pessoa. O ladrão teria invadido a casa pela janela da cozinha enquanto os donos estavam fora.


Segundo a Polícia Militar, o crime ocorreu por volta das 16h. O ladrão teria aproveitado que a casa estava vazia e arrombado a janela da cozinha para invadir a residência. O dono da casa só percebeu o furto após ter ido ao quarto e visto objetos e roupas jogado no chão.

De acordo com a PM, a vítima não soube informar quem poderia ter cometido o crime, já que nenhum outro local da casa foi revirado e a quantia levada estava escondida dentro de um guarda-roupas.