piemonte fm

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Usuários faltam a exames no SUS e pioram fila de espera por atendimento na Capital


Diretora técnica do Setor de Regulação da SMS diz que há sobra de procedimentos e mau aproveitamento da oferta de assistência em saúde
Saúde | Em 09/08/16 às 07h09, atualizado em 09/08/16 às 07h05 | Por Redação
Divulgação/Secom-JP
Usuários que faltam prejudicam atendimento do SUS
Nos cinco primeiros meses deste ano, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de João Pessoa realizou a marcação de 602,7 mil procedimentos, entre exames e consultas. Porém o número de absenteísmo, quando o usuário não comparece ao procedimento no dia agendado, é muito grande e acaba afetando todos os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) no município. Foram registradas 372,7 mil faltas aos procedimentos agendados neste período, o que representa 61,8% das marcações.



De janeiro até maio de 2016, foram regulados 473.553 exames e, destes, os usuários faltaram a 307.739, o que representa 65% do total de exames marcados. Dentre os exames que apresentam maior índice de absenteísmo predominam mamografias, radiografias e ultrassonografias.

No mesmo período, 129.218 consultas foram marcadas para especialistas, porém há o registro de 65.008 faltas. Ou seja, mais da metade (50,3%) dos usuários não estão comparecendo às consultas, enquanto apenas 49,7% têm comparecido. As consultas que registram mais faltas dos usuários são nas especialidades de Oftalmologia, Cardiologia, Dermatologia e Ginecologia.

Absenteísmo atrapalha todo o sistema

De acordo com a diretora técnica do Setor de Regulação da SMS, Maria Hercília Araújo, o absenteísmo dificulta o acesso de outros usuários ao sistema de saúde e acarreta aumento do prazo de espera para a realização de uma determinada consulta. “As vagas disponibilizadas deixam de atender a outros usuários que também aguardam pelos mesmos procedimentos”, afirmou.

Dessa forma, as faltas injustificadas de pacientes sem qualquer comunicação prévia em consultas ou exames agendados compromete a eficiência do serviço. “Quando agendada uma consulta ou um procedimento, essa vaga fica bloqueada para atender ao agendamento daquele usuário. Caso o mesmo falte ao agendamento, deixamos de garantir a assistência a outro usuário que teria disponibilidade para comparecer ao atendimento”, complementou Hercília.

Sobram procedimentos na rede 

A diretora técnica do Setor de Regulação da SMS destaca, ainda, que há sobra de procedimentos e mau aproveitamento da oferta de assistência em saúde, o que fragiliza e prolonga o processo de conclusões diagnósticas. A maior demanda de procedimentos na rede municipal é advinda da atenção básica, a qual necessita de celeridade de acesso aos pareceres e avaliações da atenção especializada.

Ela chama a atenção da população sobre a importância do comparecimento dos usuários do SUS às consultas e exames agendados previamente. “É importante que no caso de previsão de falta ao procedimento, por quaisquer motivos que sejam, o mesmo contate a unidade de marcação para que a vaga seja cancelada e repassada para outro usuário, movimentando a fila de espera e reduzindo a demanda reprimida”, alertou.

Hercília ressalta que, quando o usuário deseja ir para determinado profissional, é importante entender que a espera será maior, pois aguardará tal agenda de determinado profissional, enquanto outras vagas vão sendo disponibilizadas para os que não possuem qualquer restrição. A otimização das vagas depende do usuário e do cumprimento das agendas pelos profissionais.

Regulação 


Na rede municipal de saúde, quase todos os procedimentos são regulados, com exceção das órteses e próteses. Atualmente, a rede de marcação de João Pessoa possui 128 marcadores nas Unidades de Saúde da Família, além daqueles que estão nos Distritos Sanitários e nos hospitais.

Na posse dos encaminhamentos de consultas e exames, os usuários deixam os mesmos em suas unidades de referência para agendamento. Os encaminhamentos de alta complexidade são encaminhados para a referência de regulação, nas sedes dos Distritos Sanitários, que são responsáveis por dar entrada no sistema, para posterior avaliação do médico regulador e liberação da marcação. 

Polícia Civil apreende menor acusado de furtos e incendiar anexo no BNB Clube de Alagoa Grande


A Polícia Civil, através da Delegacia de Alagoa Grande, vinculada a 8 DSPC/Guarabira, realizou a prisão em flagrante uma adolescente com apenas 12 anos de idade por ato infracional semelhante ao furto, momento que os Policias Civis esclareceram inúmeros crimes, ocorridos na localidade e identificou vários outros adolescentes acusados. Com a ação dos Policiais, que teve o apoio do Conselho Tutelar, foram recuperados vários objetos roubados do pátio da área de lazer do BNB Clube, na última sexta-feira. Constatou-se ainda que, no dia 05 de agosto, alguns adolescentes atearam fogo na casa que servia de depósito, queimando todo material que se encontrava no interior da localidade, que fica na entrada da cidade, justamente no terreno do BNB Clube, inclusive foi necessário a intervenção do Corpo de Bombeiros de Guarabira, diante da gravidade do incêndio. A Polícia Civil já identificou os outros adolescentes envolvidos no incêndio e já está adotando as medidas cabíveis legalmente. Com a ação, foram apreendos inúmeras chaves, um simulacro de arma de fogo, uma quadro, peças de vidro de lâmpadas e vários troféus. "A Polícia Civil de Alagoa Grande tem feito a sua parte e confeccionado inúmeros procedimentos policiais para inibir condutas criminosas que venham a atormentar a população local, inclusive com a integração com o Conselho Tutelar e com a Polícia Militar. Estamos ao lado da população e quem se envolver em  crimes ou atos infracionais serão identificados e punidos com os rigores da Lei, independente de idade", disse o Delegado Danillo Orengo.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Casal assalta laboratório em João Pessoa e tranca clientes em banheiro

Circuito de câmeras registrou o crime e deve ajudar a identificar suspeitos.

Segundo a polícia, ainda não se sabe como os suspeitos fugiram

Do G1 PB
Laboratório foi assaltado na tarde desta terça-feira (12) em João Pessoa (Foto: Walter Paparazzo/G1)Laboratório foi assaltado na tarde desta terça-feira (12) em João Pessoa (Foto: Walter Paparazzo/G1)
Os funcionários de um laboratório de análises clínicas foram vítimas de um assalto na tarde desta terça-feira (12) no bairro dos Bancários, em João Pessoa. De acordo com a Polícia Militar, um casal rendeu todos os funcionários da clínica dentro de um banheiro e roubou bens pessoais.
Segundo a polícia, ainda não se sabe como os suspeitos fugiram, mas o circuito de câmeras registrou o assalto e que os policiais estão tentando identificar os suspeitos.
O casal estava portando arma de fogo e, segundo relatos das vítimas, ameaçou realizar disparos algumas vezes. Os funcionários informaram que os suspeitos levaram tablets, celulares e joias.

No aniversário do ECA, Fuba diz que crianças e adolescentes ainda são invisíveis

"Nacionalmente, com esse governo golpista, estamos correndo o risco de perder tudo o que foi conquistado através de muita luta"

Créditos: Divulgação
Hoje, 13 de julho, o Estatuto da Criança e do Adolescente completa 26 anos de existência, e em setembro de 2013 foi criada na Câmara Municipal de João Pessoa a “Frente Parlamentar em Defesa da Criança e do Adolescente”. O vereador Fuba, presidente da Frente, destacou que apesar dos avanços dos últimos tempos, muito ainda precisa ser feito sobre a defesa dessas brasileiras e brasileiros.
“O ECA quebrou a doutrina da situação irregular do Código de Menores que tratava as crianças e adolescentes como objetos. Desde a sua criação ficou determinado que é dever da família, da comunidade, da sociedade, e do poder público assegurar como prioridade a efetivação dos direitos à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, e tudo mais que possibilite o desenvolvimento deles na sociedade. Precisamos ter o entendimento que criança e adolescentes são prioridades absolutas, e isso consta na nossa Constituição”, explicou o parlamentar.
Quando foi instalada a Frente Parlamentar na Câmara, Fuba destacou que o objetivo era atuar em conjunto com o poder municipal para o fortalecimento das políticas públicas voltadas para as crianças e adolescentes em João Pessoa, no entanto, o que aconteceu na prática foi bem diferente: “Na época já tínhamos reclamações sobre a forma como a Prefeitura tratava o segmento, inclusive sem colocar energia e recursos suficientes para melhorar os equipamentos de atendimento, e falo dos Conselhos Tutelares. Hoje a realidade é ainda pior. É imprescindível que os Conselhos Tutelares sejam fortalecidos”.
Segundo o vereador, já foi inclusive colocado na mídia local a situação de trabalho dos conselheiros tutelares. “Não existe material de expediente, não existe transporte, e apoio da Prefeitura ao trabalho feito pelos conselheiros. O que deixamos de fazer agora por nossas crianças e adolescentes terá reflexo no futuro. Deixá-los expostos à violência, em todas as suas formas, e ao abandono é um crime que a Prefeitura comete”.
“Mesmo hoje sendo um dia de festa, pela importância que é a existência do ECA, aqui na Capital paraibana não existe o que comemorar. Nacionalmente, com esse governo golpista, estamos correndo o risco de perder tudo o que foi conquistado através de muita luta. Esperamos continuar contribuindo para colocar esse tema na pauta da Câmara, e trazendo para a sociedade as demandas do segmento, e em especial, dessas crianças e desses adolescentes que são invisíveis para o poder público municipal”, criticou Fuba.
WSCOM Online com Assessoria

Benjamin consegue reabertura de agência do BB e instalação de caixas eletrônicos


A reunião foi na sede do BB , em Brasília, com Frederico Queiroz Filho, gerente executivo de agências

Créditos: Divulgação
O deputado federal Benjamin Maranhão (SD) se reuniu nesta terça-feira (12) com a direção nacional do Banco do Brasil e conseguiu a reabertura da agência em Araruna, além da instalação de caixas eletrônicos. Em abril deste ano bandidos explodiram a unidade no município e a direção pensava em não mais fazer a reabertura devido aos custos de recuperação e instalação para um novo ambiente.

A reunião foi na sede do BB , em Brasília, com Frederico Queiroz Filho, gerente executivo de agências. Ele deu a garantia da reabertura e informou que será feito o projeto de engenharia e a licitação da obra.

"Essa foi uma grande vitória para a população de Araruna, pois muitas agências que sofreram assaltos similares não serão reabertas. Foi preciso articulação junto à Diretoria do BB para que o conselho aprovasse a reabertura da agência. As obras custarão aproximadamente R$ 1.500.000,00", disse o parlamentar.

Enquanto se elabora o projeto e se constrói a nova agência, o deputado solicitou a instalação de caixas eletrônicos. A direção nacional do BB garantiu o atendimento do pleito. "A população não pode ficar prejudicada sem ter uma agência bancária e nós viemos aqui encaminhar essa reivindicação", comentou.
WSCOM Online com Assessoria

Empresário suspeito de fraudes em licitações é preso em clínica de João Pessoa

Após o cumprimento do mandado de prisão, ele foi encaminhado para a Justiça Federal na Capital para audiência de custódia

Polícia | Em 12/07/16 às 18h55, atualizado em 12/07/16 às 18h56 | Por Redação
Divulgação/Polícia Federal
Polícia Federal
O empresário José Aloysio da Costa Machado Neto foi preso nesta terça-feira (11), em uma clínica de João Pessoa. Ele era um dos três procurados pela Polícia Federal e que tiveram a identificação divulgada pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB), suspeitos de fraudes em licitações, investigadas na Operação Desumanidade.



Após o cumprimento do mandado de prisão, ele foi encaminhado para a Justiça Federal na Capital para audiência de custódia. A prisão foi efetuada por policiais federais, sob a coordenação do delegado regional de Combate ao Crime Organizado, Raone Aguiar.

A Operação Desumanidade ocorre por meio da investigação que envolve fraude à licitação, desvio de recursos e lavagem de dinheiro em obra de município do Sertão do estado.

Grupo destrói parte de banco, rouba cofre e atira contra sede da PM, na Paraíba

Segundo informações da Polícia Militar, por volta das 2h50, cerca de 8 homens, fortemente armados com fuzis e metralhadoras, chegaram em três carros atirando contra o destacamento da polícia

Polícia | Em 13/07/16 às 08h08, atualizado em 13/07/16 às 08h31 | Por Hyldo Pereira, com colaboração de Lauricéia Barros, TV Correio CG
Reprodução/ TV Correio
Banco do Brasil foi explodido
A agência do Banco do Brasil da cidade de Alagoa Nova, no Brejo paraibano, a 148 km de João Pessoa, foi explodida na madrugada desta quarta-feira (13). O destacamento da Polícia Militar da cidade foi alvo de tiros.

Segundo informações da Polícia Militar, por volta das 2h50, cerca de 8 homens, fortemente armados com fuzis e metralhadoras, chegaram em três carros atirando contra o destacamento da polícia, como forma de intimidação.
Conforme os populares, foram mais de 15 minutos de tiros. Os suspeitos foram direto à agência visando o cofre do estabelecimento. Foram quatro explosões, destruindo parte do prédio. Os caixas eletrônicos ficaram intactos.
De acordo com a PM, os criminosos entraram pelos fundos da agência, provocando estragos até chegar ao cofre central, onde obtiveram êxito e levaram diversos malotes de dinheiro. Na fuga, eles saíram com destino à barragem de ‘Nova Camará’, que faz divisa com os municípios de Remígio e Areia.
Dinamites ainda foram deixadas pelo chão, além de grampos espalhados no asfalto até as imediações da entrada da cidade de Matinhas. Até as 8h, nenhum integrante do grupo tinha sido preso.
Bananas de dinamites foram deixadas