piemonte fm

sexta-feira, 11 de março de 2016

Ex-prefeito de cidade Sertão da PB é liberado horas depois de ser preso


Advogado conseguiu provar que mandado havia sido suspenso.
Francisco Mendes foi levado para delegacia na manhã desta sexta.

Do G1 PB
O ex-prefeito de Nazarezinho, Francisco Gilson mendes Luiz, foi preso nesta sexta-feira (11) por força de mandado de prisão (Foto: Reprodução/TV Paraíba)O ex-prefeito de Nazarezinho, Francisco Gilson mendes Luiz, foi preso nesta sexta-feira (11) por força de mandado de prisão (Foto: Reprodução/TV Paraíba)
Foi liberado horas depois de ser preso o ex-prefeito da cidade de Nazarezinho, no Sertão paraibano, Francisco Gilson Mendes Luiz. A prisão aconteceu no início da manhã desta sexta-feira (11). A defesa conseguiu provar que o mandado havia sido suspenso pela Justiça. A informação foi confirmada pelo delegado da Polícia Civil Carlos Seabra. O ex-prefeito de Nazarezinho foi liberado por volta das 9h30.
De acordo com o delegado, a equipe de agentes prendeu o ex-prefeito porque o mandado ainda estava no Banco Nacional de Mandados de Prisão do Conselho Nacional de Justiça. "Nós verificamos e o mandado de prisão estava no ar, por isso o cumprimos. Quando chegamos a casa do ex-prefeito, ele afirmou que o mandado havia sido suspenso, mas mesmo assim continuamos com a operação. Na delegacia, foi certificado que o mandado tinha sido suspenso e foi feita a liberação", explicou Carlos Seabra.
Francisco Mendes foi prefeito de Nazarezinho entre os anos de 2005 e 2008. O mandado foi expedido pela 8º Vara Federal da Seção Judiciária da Paraíba, localizada em Sousa, no dia 26 de janeiro de 2015. O ex-prefeito, que acumula processos por improbidade administrativa e já foi condenado a cinco anos e 10 meses de prisão em regime semi-aberto, foi detido na casa onde morava.
O advogado dele, Fabrício Abrantes, afirmou que a prisão foi ilegal e decorre de um erro judiciário, mas também da polícia. Segundo a ele, a defesa do ex-prefeito entrou com um recurso e o juiz responsável pelo caso suspendeu o mandado no dia 3 de fevereiro, no entanto o pedido de prisão não foi retirado do Banco Nacional de Mandados do Conselho Nacional de Justiça.
Fabrício Abrantes disse ainda que os agentes chegaram na casa do ex-prefeito com o mandado de prisão e a movimentação do processo. "Não faz sentido a ação dos policiais. Junto com o mandado do dia 26 de janeiro, eles também tinham em mãos toda movimentação do processo na Justiça Federal, onde continha a decisão de suspensão do mandado prisão. Ou não leram, ou queriam mesmo levar meu cliente. A Justiça também errou não retirando o mandado do Banco Nacional".
A defesa pretende entrar com uma ação judicial contra a União e o Estado da Paraíba. "A ação cabe perfeitamente, mas ainda vamos conversar com o Gilson. Ele foi levado para casa. Está muito abalado", afirmou, complementando que se reunirá com Francisco Gilson Mendes Luiz na segunda-feira (14).

Nenhum comentário:

Postar um comentário