piemonte fm

terça-feira, 22 de março de 2016

Ex-miliciano do RJ é preso suspeito de ordenar morte de diretora de cadeia da PB

Córdula Veloso Borges foi morta com pelo menos quatro tiros na manhã do dia 20 de outubro de 2015

Polícia | Em 22/03/16 às 08h43, atualizado em 22/03/16 às 09h33 | Por Redação
Reprodução/Instagram/Emerson Machado
Diretora foi morta a tiros
Foram presos, na manhã desta terça-feira (22), dois dos três homens suspeitos de terem envolvimento na morte da ex-diretora da cadeia pública de Ingá, Córdula Veloso Borges, assassinada a tiros no dia 20 de outubro do ano passado. O homem apontado pela polícia como mandante do crime foi preso na cidade de Itatuba (Agreste do estado, a 120 km de João Pessoa). Já um dos executores foi preso no bairro José Américo, na Capital. As ações aconteceram durante a Operação Sentinela, deflagrada pelas polícias Civil e Militar. 

De acordo com o delegado Hugo Lucena, que comandou a operação, o crime teve como motivação retaliação e desejo de vingança. Ainda conforme a autoridade, o mandante do crime já atuou em uma milícia no Rio de Janeiro e é investigado por tentativa de homicídio em Itatuba.
"O mandante do crime tem uma empresa de segurança em Itatuba e expandiu o negócio para Ingá. Só que Córdula, que tinha o hábito de fazer denúncias, percebeu que práticas ilícitas eram realizadas na empresa e resolveu denunciar. O Ministério Público instaurou um procedimento administrativo para investigar a empresa e o proprietário, como forma de se vingar dela, encomendou sua morte", explicou, em conversa com o Portal Correio.
"A partir desse momento ele contratou duas pessoas para executar o crime. O que foi preso hoje inclusive é um criminoso muito procurado na região metropolitana de João Pessoa, por envolvimento com outras mortes e tráfico de drogas. Com a prisão dele, iniciamos uma nova etapa da investigação, que é a busca pela identificação do outro executor do crime", completou.
Hugo Lucena disse ainda que, com a morte de Córdula Veloso, as investigações contra a empresa do mandante do crime haviam sido paralisadas. A partir da prisão dos suspeitos, as práticas ilícitas denunciadas pela ex-diretora da cadeia de Ingá devem voltar a ser apuradas. O delegado não adiantou em que consistem as irregularidades apontadas pela vítima.  
Os dois suspeitos presos serão levados para a Central de Polícia Civil da Capital, no bairro do Geisel. Eles devem ser transferidos para um presídio nas próximas horas, conforme determinação da justiça de Ingá. 
O crime
Córdula Veloso Borges foi encontrada morta dentro de um carro na manhã do dia 20 de outubro de 2015. De acordo com a polícia, ela foi perseguida durante trajeto em trecho da BR-230, em Ingá. Dois suspeitos, um deles preso nesta terça, emparelhou um veículo com o da ex-diretora da cadeia pública da cidade. Vários tiros foram efetuados e a vítima foi atingida por pelo menos quatro disparos. Ela estava acompanhada por um neto e pessoas a quem costumava dar caronas, mas nenhuma dessas pessoas foi baleada. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário