piemonte fm

terça-feira, 28 de julho de 2015

PC não afasta possibilidade de ordem para incendiar ônibus em CG ter partido do Serrotão



PC não afasta possibilidade de ordem para incendiar ônibus em CG ter partido do Serrotão
 A Polícia Civil não afasta a possiblidade, os ataques aos dois ônibus ontem em Campina Grande, ter relação com a rebelião ocorrida no presidio do Serrotão. A polícia investiga se a ordem para tocar fogo nos veículos partiu de dentro da penitenciária.

Os dois ataques ocorreram horas após um princípio de rebelião ser contido no Complexo Penitenciário do Serrotão Os atentados lembram o modus operandi de outros três casos registrados na primeira quinzena de maio, quando, segundo a Polícia Civil, presos que cumprem pena nessa mesma unidade prisional ordenaram os ataques ao transporte coletivo.

A Polícia não descarta a hipótese das duas novas ocorrências serem uma nova retaliação dos criminosos às mudanças implementadas no Serrotão. Segundo o superintendente regional da Polícia Civil em Campina Grande, delegado Luciano Soares, a diretoria do complexo vem aplicando de forma mais rigorosa as regras de segurança, como a segregação dos presos por pavilhão durante os banhos de sol, com cada grupo saindo para o pátio por vez.

O secretário estadual da Administração Penintenciária, Wagner Dorta, disse que houve confronto entre agentes e detentos, mas ele ainda está investigando como aconteceu o disparo. Ele disse que uma sindicância vai ser aberta para apurar o caso. Ele também não afasta a hipótese do incêndio no ônibus ter relação com a rebelião.

O ônibus da linha 020 foi incendiado no bairro da Ramadinha. O incêndio aconteceu na mesma manhã em que um detento foi baleado dentro do Presídio do Serrotão. O homem foi levado para o Hospital de Trauma de Campina Grande e, segundo a unidade de saúde, o estado dele é considerado gravíssimo. Os outros dos detentos da unidade se rebelaram e pedem mudanças nas regras da penitenciária.

No final da tarde, dois adolescentes e um jovem de 19 anos tentaram incendiar um ônibus de transporte coletivo na Rua Damasco, no bairro de Santa Rosa. De acordo com a gerente de transporte da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP), Aracy Brasil, na hora da tentativa, uma viatura da Polícia Militar fazia rondas no local e apreendeu os suspeitos de participação na ação.

Segundo apurou a polícia, o trio mandou o motorista e os passageiros descerem do ônibus, chegou a jogar gasolina, mas não conseguiu atear fogo. Porém, a versão do Corpo de Bombeiros é diferente. Segundo os Bombeiros, o ônibus chegou a pegar fogo, mas as chamas logo foram contidas pelo motorista do coletivo, que ainda conseguiu levar o veículo para a garagem.

De acordo com a PM, com o trio foi apreendido o dinheiro levado do ônibus, fósforos e um simulacro de pistola. Os suspeitos são moradores do Pedregal e têm 14, 17 e 19 anos. Eles estavam com as roupas sujas de líquido semelhante à gasolina. Eles foram encaminhados para a Central de Polícia.

Em maio deste ano, outros três casos de incêndio de ônibus foram registrados na cidade. A ordem para atacar e incendiar transportes coletivos na cidade foi dada por detentos que estavam no Presídio Regional do Serrotão, segundo apontaram os investigadores da Polícia Civil.


Redação

Nenhum comentário:

Postar um comentário