piemonte fm

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Doença de carrapato em famosos alerta para cuidados; veja orientações para proteger saúde

Bichos de estimação são as principais vítimas e se não forem bem cuidados e tiverem um ambiente higienizado e limpo, podem ser hospedeiros e transmitir as infecções aos seus donos

Saúde | Em 23/06/15 às 18h02, atualizado em 23/06/15 às 18h09 | Por Luciana Rodrigues
Montagem: Portal Correio*
Avril e Ângelo tiveram problemas com carrapatos
Infecções provocadas por pragas de parasitas como carrapatos e pulgas vêm chamando a atenção dos serviços básicos de saúde após acometerem astros famosos da TV e da música, como o ator brasileiroÂngelo Antônio e a cantora canadense Avril Lavigne.


Geralmente não notificadas, essas infecções preocupam principalmente pela forma discreta com que acometem aquelas pessoas que possuem animais de estimação, hospedeiros desses parasitas. Os cães e gatos precisam ser protegidos para que essas infecções contaminem humanos. 

Frederico, pet do odontólogo Fábio Gomes, contraiu erliquiose, transmitida por carrapato. Segundo ele, o cachorro faz tratamento desde janeiro deste ano, quando pegou a doença, o que tem gerado custos estimados em R$ 2 mil, entre medicamentos e consultas ao veterinário.

Fábio explica que Fred pode ter sido picado por carrapato contaminado durante os passeios ou no petshop e falou que em casa não há nenhum problema que ofereça riscos à família. Apesar dos transtornos, o odontólogo garante que não há mais carrapatos no pet.

O coordenador do Núcleo de Controle de Zoonoses do Estado da Paraíba, Assis Azevedo, explicou que como essas infecções não são imunopreveníveis deve-se reforçar a proteção aos animais de estimação.

Ele informou que os diversos tipos de carrapatos são responsáveis por infecções como a erliquiose, a febre maculosa e a mais recentemente descoberta Doença de Lyme, que teria acometido a cantora canadense Avril Lavigne. 

A doença foi descoberta em 1992 e somente em 2014 foi criada uma associação no Brasil para combater a patologia.

Entre os sintomas dessas infecções provocadas pelos parasitas estão a febre e a cefaleia e dores nas articulações, este último sintoma, no caso da Doença de Lyme.

Assis Azevedo no entanto informou que ainda não foram notificados casos da Doença de Lyme na Paraíba.

Orientações, cuidados e tratamento
Em João Pessoa, o Centro de Zoonoses do Município faz a desinfecção de ambientes infestados, mas somente quando ocorrer em comunidades. No caso de residências ou propriedades particulares, o proprietário é quem deverá tomar as providências para combater a proliferação dos parasitas.

O atendimento e o tratamento para pessoas acometidas pelas infecções causadas por parasitas, de acordo com Assis Azevedo, é feito nos postos de saúde, que dá toda a orientação necessária aos pacientes.

A veterinária Sueli Ruth, do Centro de Zoonoses de João Pessoa, informou que o órgão atendeu este ano comunidades acometidas por pulgas de areias, comumente chamados de bichos-de-pé. Ela não citou o nome da comunidade para preservar o local, mas explicou que é comum o aparecimento do parasita, principalmente em locais arenosos, como praias.

Ela explicou que o parasita usa os cães como reservatórios, mas o homem também é acometido. De acordo com ela, os ovos do bicho-de-pé só eclodem em organismos vivos, por isso a importância de se preservar os animais domésticos para que eles não infestem o ambiente.

A veterinária orientou a população a desinfestar o ambiente regularmente e fazer a higiene necessária. "Deve-se fazer uso de produtos apropriados, utilizando puro ou na diluição em água para o banho dos bichos de estimação". No caso de locais com areia, Sueli Ruth orientou a mistura da cal, produto utilizado na construção civil, junto com um inseticida apropriado para evitar a infestação.

Qualquer dúvida, a população pode ligar para o Centro de Zoonoses de João Pessoa através do telefone 3218 9357 que receberá as orientações necessárias de como proceder em caso de ambientes infestados.

Além de inseticidas, a especialista informou que existem também coleiras apropriadas para a eliminação de parasitas nos animais, contudo essas ações devem ser conjuntas com a limpeza e higienização regular do ambiente em que vivem os bichos de estimação.

Controle de pragas

Os períodos de alternância de chuva e calor são apropriados para a reprodução dos parasitas e quando a situação fugir do controle a recomendação é procurar o serviço de controle de pragas.

Douglas Lima, da empresa Rarinsetpb que atua em João Pessoa, disse que não é aconselhável que os donos de animais façam sozinhos essa desinfestação, mas procurem um serviço especializado.

"É mais seguro tanto para a saúde dos bichos de estimação como das pessoas. Mas além do trabalho que fazemos é preciso que o cliente também colabore mantendo uma higienização do local. A ação entre o controle químico e a limpeza do ambiente precisa ser simultânea", esclareceu.

Ele informou que, além das pragas mais comuns como os parasitas, existem também os insetos que incomodam muito e também podem transmitir doenças como formigas e baratas e ainda os roedores e os animais peçonhentos, como os escorpiões.
*Créditos das fotos: Avril Lavinge: Reprodução/Instagram; Ângelo Antônio: Reprodução/R7/Selmy Yassuda /Revista Contigo!/Divulgação; animais: Divulgação/Secom-JP

Nenhum comentário:

Postar um comentário