quarta-feira, 16 de julho de 2014

Deputados esbanjam em restaurantes de luxo


Deputados esbanjam em restaurantes de luxo
 Deputados esbanjam em restaurantes de luxo na Capital e gastam até R$ 7 mil por refeição

Os gastos com a alimentação da populaçãocrescem a cada dia e o aumento provoca mês a mês um maior arrocho financeiro no bolso do trabalhador. No entanto, há aqueles que podem ficar despreocupados e comerem a vontade sem nem mesmo se importar com o valor da refeição.


Os privilegiados são os deputados estaduais da Paraíba, que além dos salários e assessorias inerentes a cada cargo e de uma verba indenizatória que pode chegar até o limite de R$: 30.000,00 reais por mês, conforme ato da mesa da RESOLUÇÃO 1457/09, também são agraciados com refeições bancadas pela Mesa Diretora da Casa.

A verba indenizatória destina-se a ressarcir os deputados de despesas por eles praticadas no exercício do mandato, tais quais como; divulgação, transporte, combustível, restaurantes e etc. Conforme se pode observar nas notas de empenho, disponibilizados pelo SIAF (Sistema Integrado deAdministração Financeira).



Em alguns empenhos obtidos pela reportagem do PB Agora, é possível comparar a discrepância entre os valores. Enquanto em um badalado restaurante da Capital o valor da refeição quase chega a R$ 8 mil, no restaurante destinado aos funcionários do mesmo poder, situado ao lado da ALPB, a despesa atinge pouco mais de R$ 300,00.



O mais agressivo é a distancia existente entre os que servem e são servidos no poder legislativo da Paraíba, mesmo os deputados tendo uma verba para cobrir suas despesas pessoais, como é o caso da verba indenizatória, ainda usam deste privilegio que podem ter  todas as características de atos de improbidade administrativa.



No início do ano o deputado estadual Tião Gomes, do PSL, denunciou os gastos excessivos da Mesa Diretora e ainda a discordância na distribuição das verbas para cada gabinete. Segundo Gomes, os aliados ao presidente Ricardo Marcelo eram prestigiados, enquanto que os governistas, que defendem o governo Ricardo Coutinho (PSB), sofriam retaliações.

Outro fator intrigante que ainda gera dúvidas é o fato de a Mesa Diretora não ter nomeado todos os 70 concursados aprovados no Concurso Público da Casa. Alguns reclamam da demora e lamentam que o poder legislativa esteja formado, em sua maioria, por cargos em comissão.



Redação 

Nenhum comentário:

Postar um comentário