piemonte fm

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Polícia da PB indicia suspeitos de envolvimento em morte de casal

Casal foi morto da saída de festa em Campina Grande no mês de março.
Sócio das vítimas e suspeito de agiotagem foram os mandantes, diz polícia.

Do G1 PB
A delegada de homicídios Tatiana Matos indiciou nesta terça-feira (15) os seis presos envolvidos no assassinato do casal Washington Luiz e Lúcia Santana, mortos na saída de um casamento em Campina Grande. O sócio das vítimas e um suspeito de agiotagem são os mandantes, segundo a polícia. O crime aconteceu no dia 29 de março, próximo a uma casa de recepções no bairro do Catolé, após outras duas tentativas de matar o casal.
O crime aconteceu em frente a uma casa de festas de Campina Grande. Washington Luiz, de 51 anos, e sua mulher, Lúcia Santana, de 42 anos, foram abordados pelo assassino por volta das 21h30 no dia 29 de março, quando saíam da festa e se aproximavam do carro. Segundo a polícia, o assassino já chegou atirando. De acordo com a delegada Tatiana Matos, o crime foi elucidado a partir da quebra do sigilo telefônico dos envolvidos, que revelou conversas telefônicas e troca de mensagens combinando detalhes do crime.
Casal morto depois de festa de casamento em Campina Grande (Foto: Reprodução / TV Paraíba)Casal morto depois de festa de casamento em
Campina Grande (Foto: Reprodução / TV Paraíba)
Os dois suspeitos de ordenar os assassinatos foram indiciados por duas tentativa de homicídio contra o casal, nos dias 1º e 21 de março, além do duplo homicídio qualificado das vítimas e a tentativa de homicídio que deixou ferido um vigilante da rua, no dia 29 de março.
Um pistoleiro contratado para matar o casal no dia 1º de março foi indiciado pela tentativa de homicídio e pelo roubo do celular do motorista de Washington.
O suspeito de executar os assassinatos, junto com o casal que auxiliou sua fuga no dia 29 de março, foram indiciados por duplo homicídio qualificado e a tentativa de homicídio contra o vigilante. O mesmo homem e o executor do crime também foram indiciados pela tentativa de homicídio no dia 21 de março.
"Concluímos o inquérito hoje, pedimos o indiciamento e a prisão preventiva dos envolvidos. A prisão temporária deles acaba no dia 17 [quinta-feira]. Entendemos que enquanto aguardam o julgamento eles eles devem continuar presos. O inquérito policial será encaminhado ao poder judiciário amanhã", explicou a delegada responsável pela investigação, Tatiana Matos.
Motivação
Segundo a polícia, todo o caso começou quando os dois mandantes decidiram contratar alguém para matar o casal. Um desses homens era o sócio da vítima. O outro era o dono do carro no valor de R$ 81 mil, que foi vendido a Washington, mas não tinha sido pago. Eles contrataram um terceiro homem para intermediar o crime. Outro ponto que teria motivado o crime, de acordo com as investigações, é o fato de um dos suspeitos ser sócio das vítimas e, no caso da morte deles, ser o único beneficiário a tomar controle total da empresa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário