piemonte fm

terça-feira, 28 de julho de 2015

Músico raptado em João Pessoa é achado após pedir socorro pelo WhatsApp


Pouco depois tempo do pedido de socorro, o músico foi achado no bairro Quadramares, na Capital, com alguns hematomas e fora do carro; nenhum um pertence foi levado pelos assaltantes

Polícia | Em 28/07/15 às 09h52, atualizado em 28/07/15 às 19h28 | Por Hyldo Pereira
Portal Correio
Jovem relatou o rapto em um grupo de amigos
Um músico de 28 anos foi raptado no final da noite dessa segunda-feira (27) quando passava em uma rua que fica às margens da BR-230, no bairro do Geisel, em João Pessoa. A vítima foi achada espancada cerca de uma hora depois porque usou o WhatsApp para comunicar o rapto as autoridades policiais e amigos. Até as 9h40, o caso ainda não tinha sido registrado na delegacia.

Conforme registro feito pelo Centro Integrado de Operações da Polícia Militar (Ciop), o jovem relatou que por volta das 23h estava dirigindo um veículo Corsa Sedan quando foi abordado por dois homens em uma motocicleta Fan Preta, nas imediações de um Atacadão.Em entrevista ao programa Correio Verdade, TV Correio HD, a vítima relatou que estava indo fazer a entrega de um celular que foi vendido por ela, após anúncio na rede social.
Ainda segundo o Ciop, o garupa armado desceu da moto e colocou a vítima no porta-mala do próprio carro. Um dos homens assumiu a direção do automóvel enquanto o comparsa dava a rota do crime.
De dentro do porta-mala, por volta das 23h06, o jovem comunicou que tinha sido raptado em um grupo amigos no Whatsapp. “2 caras nhma moto me pararam; TO na mala do csrr; Foi mto raois; Avisa am pude; Acho q tão indo p cristo; Fez um retorno; Espalha.. (sic)”, escreveu a vítima. A comunicação durou cerca de 5 minutos.
Pouco tempo depois do pedido de socorro, o músico foi achado no bairro Quadramares, na Capital, com alguns hematomas e fora do carro. Nenhum pertence foi levado pelos assaltantes. Ele acionou a polícia, que esteve no local e levou o rapaz para o Complexo Hospitalar Ortotrauma, o Trauminha, de Mangabeira. Ele foi atendido e liberado.
O delegado Fernando Barbosa, plantonista do Distrito Integrado de Segurança Pública (Disp) de Mangabeira, confirmou que o caso não tinha sido registrado. Familiares da vítima revelaram que o jovem foi medicado e vai ao Disp registrar a ocorrência, assim que acordar. Até as 10h os suspeitos não tinham sido presos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário