piemonte fm

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Universitário morre após ser baleado na entrada de condomínio na Paraíba

Polícia investiga as possibilidades de latrocínio ou homicídio, diz delegado.

Crime foi registrado no bairro dos Bancários, em João Pessoa.

Do G1 PB
Jovem é morto a tiros na porta do prédio onde morava, nos Bancários, em João Pessoa (Foto: Reprodução / TV Cabo Branco)Delegado diz que vítima não tinha passagem  pela
polícia (Foto: Reprodução / TV Cabo Branco)
Um jovem de 21 anos morreu após ser baleado duas vezes no momento em que chegava no condomínio em que residia, no bairro dos Bancários, na Zona Sul de João Pessoa, na noite de terça-feira (7). Segundo informações colhidas pela Polícia Militar, dois homens em uma motocicleta abordaram a vítima, que era estudante universitário, e efetuaram dois disparos de arma de fogo. Os tiros atingiram o pescoço do jovem, que morreu no local antes de receber atendimento médico.
O delegado plantonista da delegacia de Crimes Contra a Pessoa, Braz Morrone, comentou que a investigação aponta para duas linhas: um crime de execução ou latrocínio, quando há roubo seguido de morte. Ainda assim, segundo ele, os primeiros indícios indicam que a segunda hipótese é menos provável. “Nada foi levado, a moto que a vítima usava foi deixada pela dupla de atiradores. Eles tiveram chance de levar os objetos pessoais, mas não levaram. Estamos investigando. A possibilidade de latrocínio não foi descartada”, ressaltou.
Ainda de acordo com a Polícia Civil, o jovem não tinha antecedentes criminais. O pai da vítima, Édson Borges, em entrevista à TV Cabo Branco, confirmou que o filho não reagiu à abordagem, chegando a levantar os dois braços no momento em que a dupla apontou a arma para ele. “Minha esposa viu e pediu que esses caras não atirassem no meu filho. Eles não tiveram dó, atiraram no meu filho. Ele ficou caído no chão com minha esposa segurando, vendo ele se esvair em sangue, pedindo para não morrer”, relatou o pai.
As imagens do circuito interno de segurança do condomínio gravaram a movimentação no local antes do crime. De acordo com o tenente Diedjon Sousa, o material foi coletado e encaminhado para a Polícia Civil. “As imagens não são totalmente nítidas, mas dá para observar a movimentação, como ocorreu o fato. Eles chegaram em um motocicleta vermelha, não deu para mostrar se houve um diálogo antes dos disparos”, detalhou.

A polícia preferiu não informar se a vítima tinha envolvimento com o tráfico de drogas. O corpo foi encaminhado para a Gerência de Medicina e Odontologia Legal (Gemol). Braz Morrone informou que tem suspeitos, mas preferiu não dar detalhes para não atrapalhar nas investigações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário