piemonte fm

quarta-feira, 19 de março de 2014

Para evitar novo trauma, Fla joga contra escritas do Bolívar na altitude

Com classificação para as oitavas de final da Libertadores em risco, time enfrenta os 3.600 metros e números a favor do rival em La Paz, nesta quarta-feira, pelo Grupo 7

Por Direto de Santa Cruz de la Sierra, Bolívia
218 comentários
Leo Moura treino Flamengo na Bolívia (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem)Léo Moura está de volta ao time do Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem)
A Taça Libertadores tem sido uma repetição de traumas para o Flamengo. Desde 2002, quando quebrou uma série de nove anos sem disputar a competição, até agora, o time acumula eliminações que deixam marcas. Por isso, o confronto com o Bolívar, em La Paz, nesta quarta-feira, às 22h (de Brasília) a 3.600m de altitude, tem ar de decisão contra uma nova decepção.

Ainda que esteja na fase de grupos, o Flamengo vive uma situação delicada. Em caso de derrota nesta quarta-feira, pode cair para a lanterna do Grupo 7, faltando duas rodadas e com um jogo fora de casa a fazer contra o Emelec-EQU. No momento, o time está em segundo lugar, com quatro pontos.
Em 2002 e 2012, o Flamengo foi eliminado na primeira fase da competição. Em 2007, caiu no Maracanã, nas oitavas, mesmo vencendo por 2 a 0 o Defensor. No ano seguinte, a tragédia diante do América-MEX, com uma derrota por 3 a 0, no Rio, também nas oitavas. Contra a Universidad de Chile, em 2010, nas quartas, o nascimento de um carrasco chamado Montillo, que nem a vitória no Chile foi capaz de apagar.

Contra o Flamengo, há ainda o fato de o Bolívar ter perdido apenas uma vez em 11 jogos em La Paz para adversários brasileiros em Libertadores: 2 a 1 para o Grêmio, em 1983. Além disso, o técnico Xabier Azkargorta, que estreou à frente do time no empate com o Flamengo, também comanda a seleção da Bolívia e não perde há 21 anos na cidade, ou nove jogos, com direito a vitória por 2 a 0 sobre o Brasil em 1993.
Léo Moura está na sua quinta Taça Libertadores com o Flamengo e passou por quase todas essas experiências traumáticas. Ele procura tirar lições dos momentos difíceis que viveu no clube durante esses anos para evitar uma nova situação constrangedora.

- Toda eliminação é ruim, mas nem fico com esse pensamento. Gosto sempre de vencer e as coisas estão acontecendo desta forma ultimamente. O que passou vai ficar no passado, mas servir de lição. Temos que aprender a jogar fora de casa. Muita gente não dá valor, mas são esses pontos que fazem você correr menos risco de ser eliminado - afirmou Léo Moura.

Na edição de 2012, o Flamengo não conseguiu vencer fora de casa em três jogos disputados na fase de grupos. O time empatou com o Lanús-ARG e perdeu para Emelec-EQU e Olimpia-PAR. Com isso, acabou sendo eliminado sem chegar às oitavas de final.

Para quebrar essa sequência negativa, André Santos alerta para a necessidade de minimizar os erros no jogo com o Bolívar. Assim, o time terá mais condições de vencer o jogo e se recuperar na competição depois do empate em 2 a 2 no Maracanã com o clube boliviano.

- Nenhuma equipe pode acertar o ano inteiro. Erramos quando ainda poderíamos errar. Agora, temos que diminuir a margem de erro. Quem errar menos se candidata a vencer o jogo - afirmou o jogador.

O Flamengo não alcança uma semifinal de Taça Libertadores desde 1984, quando a fase ainda era disputada por três times. Leonardo Moura também vê o tempo passar e, aos 35 anos, no ritmo do clube, tenta coroar sua carreira.

- A Libertadores é o único título que falta para eu fechar com chave de ouro a minha carreira. Não posso deixar passar em branco - disse.
O jogo será comandado por um trio paraguaio. Mario Díaz de Vivar apita a partida, auxiliado por Carlos Cáceres e Eduardo Cardozo. A TV Globo transmite para SC, PR, MG, RJ, ES, TO, MT, SE, AL, PB, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF. O SporTV exibe para todo o Brasil. O GloboEsporte.com acompanha todos os lances em Tempo Real.
HEADER escalacoes 690 (Foto: Infoesporte)
Bolívar:  Flores, Ferreira, Callejón e Gutiérrez foram poupados da rodada do fim de semana e voltam ao time contra o Flamengo. Assim como Jayme de Almeida, Azkargorta não fez mistérios sobre a escalação, armada no 3-5-2. A únca mudança em relação ao jogo no Maracanã será a entrada de Alvarez no lugar do lesionado Rodríguez. O time joga com Quiñónez; Alvarez, Cabrera e Gutiérrez; Yecerotte, Flores, Callejón, Miranda e Capdevila; Arce e Ferreira.
Flamengo:  o técnico Jayme de Almeida não terá Elano e Cáceres, machucados. Com isso, o time contará com a volta de Carlos Eduardo e Amaral, dois jogadores titulares na conquista da Copa do Brasil do ano passado. A formação será a seguinte: Felipe, Léo Moura, Wallace, Samir e André Santos; Amaral, Muralha, Gabriel, Carlos Eduardo e Everton; Hernane.
HEADER quem esta fora 690 (Foto: Infoesporte)

Bolívar:  sem jogadores suspensos, os únicos desfalques de Azkargorta são por lesão: Rodríguez tem um problema no joelho direito, e Moya levou uma pancada no tornozelo direito no fim de semana.
Flamengo:  os desfalques são todos por lesão. Elano não se recuperou de dores na coxa direita e Cáceres sofreu uma luxação no ombro direito. Léo também tem um problema na coxa direita.
header pendurados 690 (Foto: arte esporte)

Bolívar: Cabrera e Arce.
Flamengo:  André Santos.
header na historia 690 (Foto: arte esporte)

Flamengo e Bolívar se enfrentam mais uma vez pela Libertadores. Na última quarta-feira, as equipes ficaram no 2 a 2 no Maracanã. Mais de 37 mil torcedores assistiram à partida. Todos os gols saíram no segundo tempo. Capdevilla abriu o placar, e Everton empatou logo em seguida. Everton colocou o Rubro-Negro na frente aos 20 minutos, mas Pedriel decretou a igualdade aos 27 da etapa final. Com o resultado, o time carioca perdeu a chance de assumir a liderança do Grupo 7. Antes do duelo da semana passada, as equipes haviam se enfrentado em apenas outras duas ocasiões. Na Libertadores de 1983, o Bolívar venceu o jogo de ida por 3 a 1, e o Flamengo goleou no de volta: 5 a 2. Relembre o último confronto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário