piemonte fm

sábado, 14 de maio de 2016

Açudes voltam a sangrar na Grande JP, no Brejo e no Litoral Norte da Paraíba

Açude de Gramame/Mamuaba, responsável por boa parte do abastecimento da região metropolitana, começou a sangrar na terça. Marés, também na Grande JP, perde quase 25% do volume em um mês

Serviços | Em 14/05/16 às 09h00, atualizado em 14/05/16 às 09h48 | Por Halan Azevedo
Jornal Correio da Paraíba
Gramame, que abastece a Capital, sangrou
Apenas quatro dos 125 açudes monitorados pela Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) estão sangrando após as chuvas registradas nos últimos dias. Os mananciais cheios ficam na Grande João Pessoa; em Araçagi, no Brejo; em Mamanguape, no Litoral Norte; e em Areia, também no Brejo paraibano.

Leia também:

* Obras do São Francisco estão quase 90% concluídas e seguem no prazo; veja fotos;
* Açudes de João Pessoa e Mamanguape sangram após chuvas; veja fotos

Na Grande João Pessoa, o açude de Gramame/Mamuaba, responsável por boa parte do abastecimento da região metropolitana, começou a sangrar na terça-feira (10).



Em março, o manancial estava com 43,7 milhões de metros cúbicos (m³). Com as chuvas de abril, ele chegou aos 53,6 milhões de m³ e atingiu o ponto máximo neste mês, com 56,9 milhões de m³.

O Açude de Araçagi, que fica em Araçagi, começou a sangrar neste mês, apresentando um volume total de 63,2 milhões de m³. Já o açude Paulo Maia, em Areia, também começou a sangrar nos últimos dias, quando atingiu a capacidade máxima de 9,8 milhões de m³.

Já o manancial Jangada, em Mamanguape, é o menor dos que estão transbordado. O açude tem capacidade total para armazenar 470 mil m³.

Marés, em JP, perde quase 25% do volume em um mês

Segundo açude a abastecer a Região Metropolitana de João Pessoa, Marés não sangrou com as chuvas dos últimos dias e acabou registrando uma perda de quase 25% do volume em apenas um mês.

Em abril, quando o manancial registrou sangramento, ele tinha 2,1 milhões de m³ armazenados. Em maio, segundo a Aesa, o manancial vem registrando 1,6 milhão de m³, o que corresponde a 76,5% do volume. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário