piemonte fm

terça-feira, 29 de março de 2016

Médicos da Prefeitura de JP paralisam atividades a partir desta terça-feira

Atendimentos emergenciais continuarão ocorrendo nos hospitais municipais e Cais e apenas os procedimentos eletivos e os com possibilidade de programação ficarão suspensos

Saúde | Em 28/03/16 às 20h25, atualizado em 28/03/16 às 20h31 | Por Redação
Reprodução
Tarcísio Campos
O Sindicato dos Médicos da Paraíba confirmou, nesta segunda-feira (28), que os médicos da Prefeitura de João Pessoa vão iniciar uma paralisação das atividades profissionais nesta terça-feira (29). De acordo com o presidente da entidade, Tarcísio Campos, a previsão é que o movimento siga até o dia 5 de abril, prazo estabelecido para que o prefeito Luciano Cartaxo altere projeto sobre Plano de Cargos, Carreira e Remuneração da categoria.


Segundo Campos, os atendimentos emergenciais continuarão ocorrendo nos hospitais municipais e Cais. Conforme explicou, apenas os procedimentos eletivos e os com possibilidade de programação ficarão suspensos.

“Entregamos a nossa contraproposta e esperamos agora uma resposta da prefeitura”, disse o presidente.

A categoria decidiu rejeitar por unanimidade a proposta da prefeitura por esta trazer uma diferença de 23% a menos entre a representação de atividade médica (RAM) e a Gratificação de produtividade (GDP), recebida há mais de sete anos pelos médicos, além de ter seu valor reduzido para 70% na aposentadoria, diminuindo assim a remuneração médica.

À gestão municipal, os médicos apresentaram a seguinte pauta:

1- o projeto da prefeitura deve ser retirado ou reformado pelo executivo.

2- que a GDP que já recebem há sete anos de forma fixa seja transformada em RAM, mantendo seu valor original, sem redutor, para 20h, 30h e 40h, com caráter salarial e remuneratório, para efeito de 13° salário, 1/3 de férias e aposentadoria.

3- para ter direito a receber a RAM na aposentadoria o médico contribua por pelo menos dois anos, nesse caso sem redutor.

4- que para ter direito a 100% da RAM na aposentadoria, a contribuição seja de cinco anos.

5- que a RAM seja direito dos 640 médicos efetivos da prefeitura, independente do local de trabalho, seja PSF, CAIS, hospitais, UBS, etc.

Legislativo municipal vai debater reivindicações dos servidores da Saúde


A Cãmara Municipal de João Pessoa vai discutir a situação dos servidores da Saúde da cidade. A audiência pública, proposta pelo vereador Raoni Mendes (DEM), acontece às 15h da sexta-feira (1º). Segundo o parlamentar, o encontro foi uma reivindicação do Sindicato dos Trabalhadores Públicos em Saúde no Estado da Paraíba (Sindsaúde-PB).

De acordo com a presidente do Sindsaúde-PB, Wanda Celi Cavalcanti, as principais reivindicações a ser discutidas e negociadas com o prefeito pessoense e em audiência pública na CMJP são o pagamento do salário mínimo em vigor no País atualmente; a incorporação de gratificações precárias; o pagamento da Gratificação de Desempenho de Produção (GDP) durante período de férias, licença-gestante e licença-paternidade; e o reajuste do valor dos plantões dos técnicos de Enfermagem para R$ 100.

Nenhum comentário:

Postar um comentário