piemonte fm

quinta-feira, 31 de março de 2016

Cidades da PB têm protesto contra impeachment de Dilma nesta quinta

Atos acontecem na tarde desta quinta-feira (31) em pelo menos três cidades. 

Pela manhã, Cajazeiras também teve protesto.

Do G1 PB
Manifestantes se concentram em frente ao Liceu Paraibano, em João Pessoa (Foto: Walter Paparazzo/G1)Manifestantes se concentram em frente ao Liceu Paraibano, em João Pessoa (Foto: Walter Paparazzo/G1)
A tarde desta quinta-feira (31) está sendo marcada por atos públicos pró-Governo Federal naParaíba. As manifestações acontecem em pelo menos quatro cidades: em João PessoaCampina Grande e Guarabira os atos acontecem durante a tarde e em Cajazeiras o ato aconteceu durante a manhã. Todas as manifestações foram convocadas pela Frente Brasil Popular - PB.
A organização estima a participação de cerca de 10 mil pessoas em João Pessoa. A Polícia Militar ainda não divulgou estimativa. Por volta das 18h30, a estimativa de organização de Campina Grande era de que 10 mil pessoas estavam participando do ato. Já a PM estima um público de 3,5 mil pessoas. Em Guarabira, a estimativa da organização é de que cerca de 200 pessoas participaram da manifestação. A polícia informou à TV Cabo Branco que não foi avisada do ato e, por isso, não está acompanhando o movimento nem tem estimativa do número de participantes. Conforme organização do protesto em Cajazeiras, aproximadamente 1.200 pessoas participaram da manifestação. A Polícia Militar confirmou 500 pessoas.

Na capital, o ato é cultural e se concentrou em três locais do Centro da cidade: o Liceu Paraibano, chamado de Pólo eletrônico, a Praça João Pessoa, chamada de Pólo dos Batuques e Tambores, a Praça Pedro Américo, chamada de Pólo da Cultura Popular, e a Praça Rio Branco, chamada de Pólo dos Violões.
Manifestantes se reúnem no Ponto de Cem Réis, em João Pessoa (Foto: André Resende/G1)Manifestantes se reúnem no Ponto de Cem Réis,
em João Pessoa (Foto: André Resende/G1)
Destes pontos, todos os grupos caminharam em direção ao Ponto de Cem Réis, palco de vários shows, onde começaram a se encontrar por volta das 18h.
Entre os manifestantes está a professora Ana Maria da Costa, que disse estar no ato por um motivo que ela considera simples: "defender a democracia do nosso país que foi conquistada com tanto suor, tanta luta", disse. Para ela, "o país está num quadro bem melhor e a mídia faz com que as pessoas ignorem a nossa história".
"O que foi o Brasil depois do golpe de 1964 e o que foi o Brasil nos últimos 14 anos? Queremos pessoas conscientes e uma vida melhor. Os governos Lula e Dilma têm mostrado que o nosso país pode ser melhor", acredita a manifestante. 
Para o presidente do diretório estadual do PT na Paraíba, Charliton Machado, "a população respondeu ao chamamento do diretório nacional do partido, também dos movimentos sindicais e sociais, para mostrar que não vai ter golpe, vai ter luta". "Essas últimas manifestações mostram que as ruas estão mais fortes", acredita.
Governador Ricardo Coutinho (PSB) participa de manifestação pró-governo em João Pessoa (Foto: Krystine Carneiro/G1)Governador Ricardo Coutinho (PSB) participa de
manifestação pró-governo em João Pessoa
(Foto: Krystine Carneiro/G1)
O governador Ricardo Coutinho (PSB) participa da mobilização em João Pessoa. “O Nordeste deixou de ser um problema para ser um início de solução e aqueles que concentram as riquezas do país, lá no Sudeste, não admitem isso e não admitem também que o grande condutor disso tenha sido um nordestino, tenha sido um filho do povo. Minha presença e minha militância não dizem respeito a absolutamente à pessoa 'A', 'B' ou 'C' ou ao partido 'A', 'B' ou 'C'. Neste momento, nós temos que dar as mãos e dizer que não vai ter golpe nesse país”, disse durante discurso no Ponto de Cem Réis.
Campina Grande
O ato em Campina Grande teve início por volta das 15h40 na Praça Clementino Procópio, no Centro e a caminhada teve início às perto das 17h20. O grupo chegou de volta à praça por volta das 18h10.
Manifestantes caminham em Campina Grande (Foto: Artur Lira/G1)Manifestantes caminham em Campina Grande
(Foto: Artur Lira/G1)
Participando do ato na cidade, o presidente da CUT-PB, Paulo Marcelo, diz que a data desta quinta-feira foi escolhida porque a data que marca os 52 anos do Golpe Militar. "Estamos na rua para defender a democracia e ser contra um golpe que estão querendo dar institucionalmente. Nós não aceitamos o que está sendo feito com nossa democracia. Temos um governo que foi eleito com mais de 54 milhões de votos e que não tem crime de responsabilidade fiscal e por isso não aceitamos impeachment", disse ele.
Mesmo sem ter título de eleitor, a estudante Maria Regina foi ao ato com os familiares e diz ser a favor do atual governo, pois se preocupa com seu futuro acadêmico. "Sou de família pobre e vejo que esse governo pensa nos pobres e que o que eles estão fazendo é o certo, melhorando a educação", disse.
Manifestantes realizam ato em Guarabira (Foto: Volney Andrade/TV Cabo Branco)Manifestantes realizam ato em Guarabira
(Foto: Volney Andrade/TV Cabo Branco)
Guarabira
Em Guarabira, a concentração do protesto começou por volta das 16h na Praça Nossa Senhora da Luz, em frente à Catedral, no Centro da cidade. O grupo fez uma caminhada passando em frente à Câmara Municipal e pela  Praça Pedro II, mas retornou à Catedral. O protesto foi encerrado por volta das 19h.
Na cidade, o movimento reuniu representantes da CUT, Associação de Arte e Cultura deGuarabira, Sindicato da Construção Civil, partidos e Frente Brasil Popular. Eles levaram cartazes e promoveram uma manifestação pacífica, pedindo da saída  do vice-presidente Michel Temer (PMDB).
Manifestantes se concentram em frente à câmara de Cajazeiras nesta quinta-feira (31) (Foto: Felipe Valetim/TV Paraíba)Manifestantes se concentraram na Câmara de
Cajazeiras (Foto: Felipe Valetim/TV Paraíba)
Cajazeiras
A primeira manifestação aconteceu pela manhã, em Cajazeiras, no Sertão da Paraíba. A concentração aconteceu em frente à Câmara de Vereadores, no Centro da cidade, por volta das 8h. Munidos de cartazes e faixas e trajando roupas vermelhas e bandeiras de partidos políticos, os integrantes do protesto pediam o afastamento do presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, e defenderam a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Por volta das 9h20, os manifestantes saíram em caminhada em direção à Prefeitura deCajazeiras, onde os manifestantes ficaram até as 13h, segundo informações da Polícia Militar. Conforme levantamento dos organizadores, pelo menos representantes de 12 cidades do Sertão paraibano integram o protesto em defesa do governo. Movimentos sociais e centrais sindicais também participaram da manifestação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário