piemonte fm

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Criança de cinco anos pode ter sido morta e mutilada em ritual de magia negra, na Paraíba

Crime aconteceu no município de Sumé. Segundo o delegado, a polícia está ouvindo familiares do menino e moradores da região. Vítima teve o órgão genital extraído

Polícia | Em 13/10/15 às 17h04, atualizado em 13/10/15 às 17h18 | Por Redação
Reprodução/TV Correio HD
Criança foi achada morta
A criança de cinco anos que foi morta com requintes de crueldade e teve o corpo encontrado nesta terça-feira (13), no município de Sumé, no Cariri paraibano, a 267 quilômetros de João Pessoa, pode ter sido assassinada por praticantes de magia negra. A informação foi dada pelo delegado Seccional de Monteiro, João Joaldo Ferreira, que contou que o menino teve o órgão genital extraído. A polícia já possui quatro suspeitos de participação no crime.

Leia também: Criança de 5 anos é achada morta e com corpo aberto em matagal, no Cariri da PB

Segundo o delegado, pessoas da família da vítima e moradores da região estão sendo ouvidos para tentar esclarecer o assassinato. 



“A polícia já tem quatro suspeitos de terem participado do crime e uma força-tarefa está sendo realizada pelas Polícias Civil e Militar para chegar aos envolvidos. Tudo indica que o caso tenha a ver com rituais de magia negra. O inquérito policial já foi instaurado e estamos ouvindo pessoas ligadas à família, além de moradores da região. Também estamos aguardando o resultado da perícia para chegarmos a uma conclusão sobre o caso”, disse o delegado João Joaldo Ferreira.

O crime

O garoto estava desaparecido desde o último domingo (11) e na manhã desta terça-feira (13), foi encontrado pelo padrasto, em um matagal próximo à cidade de Sumé.

De acordo com a versão do padrasto, ele saiu logo cedo para procurar o garoto e, ao perguntar a uma pessoa conhecida, foi informado que uma criança teria sido encontrada no matagal. Ao chegar ao local, se deparou com o enteado morto em uma vala e com o corpo totalmente aberto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário