piemonte fm

sábado, 19 de setembro de 2015

Duas crianças são baleadas enquanto brincavam na rua em comunidade da Capital

Testemunha do atentado que vitimou as crianças disse que um dos suspeitos tem envolvimento com o tráfico e teria bebido; homem também foi baleado na mesma noite ao reagir a tentativa de assalto

Polícia | Em 18/09/15 às 22h50, atualizado em 18/09/15 às 23h04 | Por Gustavo Medeiros
Divulgação
Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa
Dois meninos, de três e dez anos de idade, foram baleados enquanto brincavam na rua, na comunidade Santa Clara, localizada no bairro Castelo Branco, Zona Leste de João Pessoa, na noite desta sexta-feira (18). Crime também no bairro do Cristo Redentor, Zona Oeste, onde um segurança foi atingido por disparos após reagir a uma tentativa de assalto.



No caso das crianças, segundo informações de parentes repassadas à Polícia Militar, uma dupla teria passado atirando próximo ao local onde as vítimas se encontravam. Não se sabia qual seria a motivação dos disparos. Uma testemunha disse que um dos suspeitos tem envolvimento com o tráfico de drogas e teria passado o dia inteiro ingerindo bebida alcoólica.

A PM informou que os meninos foram socorridos para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena pelas próprias famílias. O mais novo foi baleado no rosto e, até as 22h40 desta sexta, se encontrava no bloco cirúrgico da instituição de saúde, em estado grave, conforme informações policiais. O mais velho foi ferido no braço e já teve alta hospitalar.

Uma guarnição fez buscas pelos suspeitos, mas ninguém havia sido detido até o fechamento desta matéria.

Na mesma noite, no bairro Cristo Redentor, um segurança de uma farmácia, de 49 anos, foi baleado com três disparos, sendo dois na perna e um no braço, ao reagir a uma tentativa de assalto ao estabelecimento.
Ele também foi socorrido para o Trauma e, de acordo com a PM, estava fora de perigo. A polícia disse que dois homens eram suspeitos pelo crime. Os dados sobre os criminosos foram repassados aos oficiais, mas, também neste caso, ninguém foi preso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário