piemonte fm

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Vídeo registra passagens de meteoros pelo céu da Paraíba; assista

Imagens foram captadas na Capital e em outras regiões da Paraíba, por meio de atividades da APA e do Bramon

Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente | Em 17/08/15 às 14h47, atualizado em 17/08/15 às 14h53 | Por Redação
Imagem cedida por Marcelo Zurita
Registro feito pelos astrônomos em João Pessoa
Os astrônomos paraibanos registraram a chuva de meteoros Perseidas, que ocorreu na quinta-feira (13) e pôde ser vista de várias partes do mundo. A informação e o vídeo com o registro foram divulgados nesta segunda-feira (17), pela Associação Paraibana de Astronomia (APA) e Rede Brasileira de Observação de Meteoros (Bramon). Assista abaixo.



De acordo com o astrônomo da APA, Marcelo Zurita, a chuva de meteoros Perseidas ocorre quando a Terra passa por uma região do sistema solar repleto de detritos deixadas pelo cometa Swift-Tuttle. Essas partículas, que seguem em uma órbita aproximada à órbita do cometa, acabam se chocando com a atmosfera da Terra a uma velocidade de cerca de 60 km/s. Quando isso ocorre, devido à altíssima velocidade, elas comprimem e aquecem o ar ao redor, causando o feixe de luz característico dos meteoros, e pode ser observado com segurança daqui da superfície.



Ele explicou que todos os meteoros de uma chuva como as Perseidas entram na atmosfera em trajetórias praticamente paralelas, mas o observador em solo tem a impressão de que eles partem todos do mesmo ponto. Esse ponto é o chamado radiante da chuva. No caso das Perseidas, esse radiante fica na constelação de Perseu, por isso a chuva recebe este nome.

Segundo Zurita, as regiões de melhor visibilidade são aquelas com céu limpo e afastadas da luminosidade das cidades. No hemisfério norte, onde ela tem maior incidência, a taxa esperada era de cerca de 100 meteoros por hora. No Brasil, as regiões Norte e Nordeste são as mais favorecidas para observação das Perseidas. E por isso, receberam uma atenção especial da Bramon.

Acompanhamento


Na Paraíba, Zurita disse que, além das quatro estações de monitoramento, ainda houve duas expedições para observação da chuva. Alguns astrônomos da APA foram para a Zona Rural de Guarabira, onde fizeram observação e algumas fotos da chuva de meteoros.

No Sertão do estado, o Grupo de Astronomia Luar do Sertão e o Instituto Federal da Paraíba organizaram uma noite de observação na cidade de Princesa Isabel que contou com cerca de 25 participantes entre astrônomos, estudantes e professores. Além da observação, o grupo contou com uma estação móvel de monitoramento da Bramon, que fez registros dos meteoros no céu do Sertão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário