piemonte fm

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Site cita Gim Argello e Vital do Rego como responsáveis por distribuir propinas a candidatos na eleição em 2014



roriz1Nesta manhã de segunda-feira (10) o programa Retrato Falado na rádio OK FM 104,1 revelou os bastidores do propinoduto das empreiteiras investigadas na operação Lava-Jato da Polícia Federal. A revelação acrescenta o furo de reportagem publicada no site QuidNovi e reproduzido no programa de rádio.
O QuidNovi postou alguns nomes de candidatos na eleição de 2014 que foram bancados pelo dinheiro oriundo da propina distribuída pelos ex-senadores, Gim Argello e Vital do Rêgo. Hoje o Retrato Falado trouxe novidades investigados pela força tarefa, Polícia Federal e a Justiça.
A investigação policial vem confirmando até agora tudo divulgado com exclusividade pelo site QuidNovi. Hoje foi acrescentado durante o programa à denúncia de que a família Roriz recebeu do esquema propinoduto R$ 5 milhões de reais sendo R$ 1.2 milhão para a deputada distrital, Liliane Roriz, R$ 1.2 milhão para a candidata a deputada federal, Jaqueline Roriz e R$ 2.6 milhões pela suplência da matriarca, Weslian Roriz.
Gim Argello ofereceu para dona Weslian, não só o dinheiro, mas também seis meses de mandato, o que permitiria o benefício vitalício do plano de saúde oferecido pelo senado aos dependentes do detentor do mandato. Dona Weslian que enfrenta um problema de saúde com o ex-governador Joaquim Roriz, não hesitou à proposta, apoiando integralmente a candidatura de Gim Argello convocando toda a família.
O “Gato de Botas” não parou por aí e fez com que Alberto Fraga desistisse de concorrer a uma vaga ao Senado Federal para disputar uma cadeira na câmara federal, o pagamento segundo o próprio deputado admite foi de R$ 1 milhão de reais, mas nos bastidores há o comentário de que foi ao menos R$ 3 milhões de reais.
Aconteceu também com José Roberto Arruda, que disputava a cadeira do Palácio do Buriti. Arruda disse que Gim Argello repassou R$ 2 milhões de reais oriundos da empreiteira UTC. Em delação premiada no âmbito da operação Lava-Jato, o presidente da UTC, Ricardo Pessoa, confessou ter repassado R$ 5 milhões de reais à dupla Gim Argello e Vital do Rêgo para não se ver convocado para prestar depoimento na CPI.
O mesmo aconteceu com as outras quatro empreiteiras envolvidas na operação Lava-Jato da Polícia Federal que também tiveram que comparecer financeiramente com pagamento de propina. A reportagem publicada no dia 23/07/2015 com exclusividade no site QuidNovi conta como o tesoureiro jornalista Paulo Roxo e o Secretário Geral da Câmara Legislativa do DF, Valério Neves operaram seguindo as ordens de Gim Argello, Vital do Regô e o ex-governador de Brasília, José Roberto Arruda. roriz1
Leia abaixo a matéria publicada com exclusividade na íntegra no site QuidNovi.
Exclusivo: O verdadeiro custo do silêncio na CPI do Petrolão
Foi no bairro nobre de Brasília, Lago Sul, que o anfitrião jornalista, Paulo Roxo e tesoureiro na campanha do ex-governador José Roberto Arruda, abriu as portas de sua mansão para receber os procuradores dos empresários proprietários de empreiteiras envolvidas na operação Lava-Jato da Polícia Federal.
Paulo Roxo é um dos envolvidos no escândalo Caixa de Pandora, batizado como mensalão do DEM. Agora, foi escalado pelo então senador, Gim Argello e José Roberto Arruda, candidato ao Palácio do Buriti nas eleições de 2014 para operar arrecadador de recursos para várias campanhas eleitorais.
Foi Gim Argello, o “Gato de Botas” e o então senador peemedebista, Vital do Rego, quem negociou a convocação dos proprietários de construtoras envolvidas no escândalo do Petrolão que iriam depor na CPI da Petrobras, onde Vital presidia e Gim atuava como vice.Este site QuidNovi publicou que os partidos entregaram suas prestações de contas ao TSE com o derrame do dinheiro de corrupção da Petrobras em campanhas política nas eleições de 2014.
Após a publicação veio a delação premiada do dono da empreiteira UTC, Ricardo Pessoa , que confirmou a entrega de R$ 5 milhões como pagamento em troca da não convocação na CPI.
O empreiteiro Ricardo Pessoa revelou também que o pool de empresas haviam pagado com dinheiro para não comparecer à CPI, agora, novamente o site QuidNovi revela com exclusividade que Paulo Roxo arrecadou junto as empreiteiras R$ 25 milhões a pedido da dupla Gim Argello e Vital Rego.
Mansão de Paulo Roxo no Lago Sul, bairro nobre da capital federal. Vários carros indica uma reunião na casa do ex-tesoureiro da campanha de Arruda e ponta de lança nas negociações com empreiteiras envolvidas na Lava-Jato.
Na sua mansão, QL 14 conjunto 10 casa 20 à margem do lago Paranoá, Paulo Roxo indicou contas de vários partidos a serem contemplados pelo esquema de propina que conta agora com uma confissão de R$ 5 milhões através de Ricardo Pessoa dono da UTC. Na ocasião do encontro, o escândalo do Petrolão ganhava as manchetes dos Telejornais e impressos, mas mesmo assim, o esquema corrupto predominava, conservando antigas práticas do esquema.
A Polícia Federal e o Ministério Público têm em mãos o monitoramento passo a passo dos recursos com suas destinações. O ex-senador que presidiu a CPI da Petrobras, Gim Argello ao tomar conhecimento de uma operação em Brasília que seria realizada pela Polícia Federal arrumou as malas e hoje está escondido em Miami.
A operação Lava-Jato da Polícia Federal que cumpriu mandados de busca e apreensão em residências e escritórios, incluindo vários parlamentares como o senador Fernando Collor e Ciro Nogueira se deu dias após o encontro reservado entre o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, o Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo e a presidente Dilma Rousseff em Portugal na cidade do Porto.
Coincidência ou não, a partir daí, o Congresso Nacional enlameado se julga impedido para abrir um processo de impeachment contra a presidente Dilma. Naquela semana Gim Argello e Pedro Paulo Leoni Ramos respiraram aliviados, mas agora contam no relógio a hora de receberem a pulseira de aço.
QuidNovi

Nenhum comentário:

Postar um comentário