piemonte fm

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Professores e servidores paralisam atividades na PB contra terceirização

Categorias aderiram ao Dia Nacional de Mobilização contra a terceirização.

Várias escolas da rede estadual amanheceram com as portas fechadas.

Do G1 PB
Sevidores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e professores da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), da rede estadual de ensino e da rede municipal de João Pessoa e Campina Grande paralisam as atividades nesta sexta-feira (29) na Paraíba, em adesão o Dia Nacional de Mobilização contra a terceirização. Também durante a manhã, sindicatos realizaram um protesto no Centro de João Pessoa, saindo em caminhada do Parque Solon de Lucena até a Praça dos Três Poderes. A estimativa dos organizadores é de que 800 pessoas tenham participado da caminhada. A Polícia Militar calcula 300 pessoas.
Escolas da rede estadual amanheceram com as portas fechadas (Foto: Felipe Ramos/G1)Escolas da rede estadual amanheceram com as
portas fechadas (Foto: Felipe Ramos/G1)
Na Paraíba, a manifestação foi convocada pela Central Única dos Trabalhadores e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, em conjunto com os sindicatos das categorias.
Na rede estadual de ensino, a estimativa é que a paralisação atinja cerca de 70% das unidades educacionais, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Paraíba (Sintep). Por sua vez, os sindicatos representativos das redes municipais de João Pessoa e Campina Grande ainda não têm estimativa da adesão.
Já a estimativa do Sindicato dos Trabalhadores da ECT na Paraíba (Sintect-PB) é de que todas as entregas de correspondências sejam suspensas nesta sexta-feira.
Manifestantes se reuniram no Centro de João Pessoa (Foto: André Resende/G1)Manifestantes se reuniram no Centro de João Pessoa
(Foto: André Resende/G1)
Ações
A Central Única dos Trabalhadores (CUT-PB), em conjunto com outras entidades, realiza um café da manhã na entrada do Porto de Cabedelo, na Grande João Pessoa. segundo o presidente da CUT na Paraíba, Paulo Marcelo, os operadores portoviários pararam por cerca de duas horas.
Após o primeiro ato, houve mobilização também na capital. Os manifestantes se reuniram no Parque Solon de Lucena, no Centro da cidade, de onde saíram em caminhada, por volta das 11h, até a Praça dos Três Poderes, também no Centro.

"Estamos unidos contra o PL da terceirização, que visa somente a redução de custos dos empresário. Os terceirizados ganham em média 30% menos e trabalham três horas a mais. Temos um exemplo no México em que um projeto semelhante foi aprovado e 84% dos bancários foram substituídos por terceirizados. Somos contra o ajuste fiscal e contra a precarização dos direitos dos trabalhadores", afirmou o secretário de Finanças da CUT na Paraíba e presidente do Sindicato dos Bancários do estado, Marcos Henriques.
Professores realizam manifestação em Campina Grande (Foto: Gustavo Xavier/G1)Professores realizam manifestação em Campina
Grande (Foto: Gustavo Xavier/G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário