piemonte fm

quarta-feira, 25 de março de 2015

QUEDA DE BRAÇO: questões paroquiais afugentam três adesões ao projeto de Ricardo Coutinho na ALPB


QUEDA DE BRAÇO: questões paroquiais afugentam três adesões ao projeto de Ricardo Coutinho na ALPB
As brigas paroquiais, a disputa por bases eleitorais em municípios parecem que não foram cicratizadas por muitos deputados estaduais e agentes políticos que não aceitam dividir o palanque com adversários históricos. Realidade muito bem empregada na bancada governista na Assembleia Legislativa que por conta de problemas locais não vê o seu bloco engordar.  

Segundo relatos do líder da bancada do Governo Hervázio Bezerra (PSB) a animosidade nas bases e a troca de farpas na ultima campanha impedem que alguns parlamentares votem nos projetos do governador Ricardo Coutinho (PSB) na Casa de Epitácio Pessoa.  

O primeiro problema é entre o deputado campeão de votos no ultimo pleito Manoel Ludgerio (PSD) que não é aceito pelo deputado governista Doda de Tião (PTB);


“Sem dúvidas esse problemas atrapalham, porém nossa base está trabalhando para ter outros parlamentares com menor impedimento como é o caso do Frei Anastácio (PT)”, disse Bezerra.  


Outra adesão que é problemática é a do deputado Arnaldo Monteiro (PSC) que não é aceito na bancada pelo governista Tião Gomes (PSL). Enquanto alguns impedimentos locais são registrados, um parlamentar pode figurar sem nenhum problema na lista governista, trata-se do deputado José Aldemir (PEN) que divide base em Cajazeiras com o governista Jeová Campos (PSB).  


Já em Guarabira no Brejo paraibano, o embate é entre um deputado e um secretário do Governo Ricardo Coutinho (PSB). Natural de Mari e militante na imprensa em Guarabira, o secretario Adjunto da Comunicação Célio Alves não aceita a entrada do deputado Raniery Paulino (PMDB) na bancada governista. Após noticiar a adesão do parlamentar ao esquema socialista, a informação foi rejeitada com veemência pelo filho do ex-governador Roberto Paulino (PMDB).  


“Eu não falei em adesão ao governo. Estou muito firme nos meus pensamentos, a minha postura é em defesa da Paraíba e a prova foi na votação dos vetos, em que votei pela derrubada de todos. Eu tenho um ponto de vista diferente. Eu não estou nos classificados, não sou comercial. As coisas têm que ser bem conversadas e transparentes. Eu não sou mais um, isso eu garanto”, disparou.  


O problema com Célio Alves foi relatado por uma pessoa próxima a Paulino; “Eu não sei o que ele tem contra Raniery que impede qualquer tipo de diálogo e o mais importante: ele está conseguindo afastar Raniery do Palácio!”, disparou o assessor.  


Henrique Lima 

PB Agora


Nenhum comentário:

Postar um comentário