piemonte fm

sexta-feira, 6 de março de 2015

ÁGUAS DE MARÇO: chove forte em CG e Defesa Civil e Bombeiros amanheceram em estado de alerta

ÁGUAS DE MARÇO: chove forte em CG e Defesa Civil e Bombeiros amanheceram em estado de alerta
 Amanheceu chovendo forte em Campina Grande nesta sexta-feira (06). Os campinenses que precisaram sair de casa para trabalhar ou estudar, tiveram que se proteger com guarda chuva ou sombrinhas. Em alguns bairros da cidade, foram registrados alagamentos nas primeiras horas do dia. A Defesa Civil está com uma equipe nas ruas vistoriando as áreas de risco. O Corpo de Bombeiros também está em alerta.

A cidade foi tomada por uma forte ventania na tarde da quinta-feira. A chuva forte de pouco mais de 70 minutos, acompanhada de ventos, derrubou árvores, placas e postes. Parte de uma igreja caiu na Vila Cabral de Santa Terezinha.

Um outdoor caiu sobre um carro após a chuva na avenida Brasília, deixando duas mulheres feridas. O Corpo de Bombeiros socorreu as vítimas e as encaminhou para o Hospital de Emergência e Trauma da cidade. Uma escola também foi atingida pela ventania no bairro do Catolé e alguns carros ficaram parcialmente destruídos.  Foram registrados vários pontos de alagamento e quedas de árvores que teriam sido ocasionadas pela força dos ventos.

A Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa) informou que entre as 15h e 16h choveu 30 milímetros (mm) no município. Equipes da DC tiveram muito trabalho durante parte da noite. As maiores ocorrências foram registradas nas chamadas áreas de riscos. O coordenador de Defesa Civil do município, Ruiter Sansão, que acompanhou pessoalmente os trabalhos, afirmou que foram registrados alguns casos de desabamentos de marquises, árvores, placas de publicidade e coberturas, além de alagamentos em pontos baixos da cidade.

“Nós visitamos as áreas mais críticas e constamos que foram registrados apenas danos materiais, a exemplo do desabamento da cobertura (garagem parte da frente) do SAMU, na Rua Almeida Barreto e a marquise de uma padaria na Liberdade’, disse. Segundo Ruiter Sansão, os principais registros de alagamentos foram na Rua Manoel Leonardo Gomes, nas proximidades do Distrito dos Mecânicos, Jardim Paulistano; Rua Manoel Paulino Raposo, e ruas no entorno do Estádio O Amigão, no Catolé. O Açude Velho transbordou, mas sem maiores problemas.

Durante a chuva, o trânsito ficou congestionado em algumas áreas da cidade. Além dos desvios de motoristas, para evitar áreas alagadas, houve problemas nos semáforos, motivados pela falta de energia.

As equipes da Defesa Civil também atenderam chamado da direção da Escola Municipal Centenário, no Catolé, para prestar assistência a crianças assustadas com as chuvas e os trovões. “Não houve maior problema no local. Estivemos lá apenas para dar um apoio. As crianças necessitavam apenas de alguém de farda”, finalizou. Segundo a Aesa, a forte chuva durou pouco mais de uma hora. "Foi uma chuva rápida e forte, pontual e localizada. Uma nuvem que se deslocou para o interior do estado atingiu principalmente a região de Campina Grande e Lagoa Seca. Amanhã teremos dados finais sobre a precipitação", explicou a meteorologista Carmen Becker. A previsão dos meteorologistas é de mais chuvas para as próximas 48h.

Severino Lopes

PBAgora

Nenhum comentário:

Postar um comentário