piemonte fm

sábado, 3 de janeiro de 2015

Ricardo Coutinho toma posse para o segundo mandato na Paraíba

.

Antes, ele e a vice Lígia Feliciano participaram de culto ecumênico.

Do G1 PB
Reconduzido ao cargo de governador da Paraíba, Ricardo Coutinho discursou na frente do Palácio da Redenção, sede oficial do governo do estado (Foto: Frederico Martins/G1)Reconduzido ao cargo de governador da Paraíba, Ricardo Coutinho discursou na frente do Palácio da Redenção, sede oficial do governo do estado (Foto: Frederico Martins/G1)
O governador reeleito da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), tomou posse na tarde desta quinta-feira (1º) em uma cerimônia no Espaço Cultural José Lins do Rêgo, em João Pessoa. Antes, Coutinho e a vice, Lígia Feliciano (PDT), participaram durante a manhã de um culto ecumênico no mesmo local. Veja como foi a cobertura em tempo real.
A organização tinha como expectativa a presença de mais de duas mil pessoas na solenidade de posse. A sessão foi presidida pelo vice-presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Edmilson Soares (PEN). Logo depois, aconteceu a recondução ao cargo, no Palácio da Redenção.
Por volta das 17h (horário local), Ricardo Coutinho e Lígia Feliciano proferiram o juramento e foram empossados pela Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). Em seu discurso, o governador reeleito anunciou a criação do Conselho Estadual de Transparência na Paraíba e enalteceu a gestão anterior e prometeu avanços e correção de erros nos próximos quatro anos.
"Há exatos quatro anos, neste mesmo local, hoje totalmente recuperado e pulsante, a população da Paraíba tomava para si as rédeas do seu destino e inaugurava uma nova etapa em sua história. Ao tomar posse como governador naquela ocasião, incorporava simbolicamente o papel de arauto dos avanços", afirmou.
Prosseguiu Ricardo, se referindo ao discurso feito na posse para o primeiro mandato: "é do alto de ações arraigadas e efetivadas, que afirmo desta tribuna em alto e bom som: o povo voltou ao poder. Foram necessários quatro anos para perceber que aquelas palavras não eram apenas retórica de um discurso de posse".
Ainda o discurso de posse, o governador relembrou os primeiros anos de governo e relacionou alguns desafios para a segunda gestão. "Nossa comparação será com nossa própria gestão e teremos que ter melhores resultados, errando menos, ajustando setores, substituindo peças, promovendo mudanças e sendo implacáveis com a corrupção", assegurou.
Em entrevista coletiva após a posse, Ricardo informou que os novos secretários de governo da Paraíba serão empossados na próxima segunda-feira (5). Além disto, anunciou a implantação de um sistema gestão por monitoramento de resultados a partir do primeiro semestre. Logo depois, o governador seguiu para o Palácio da Redenção, no Centro de João Pessoa, onde realizou a revista de tropas e foi realizada a cerimônia de recondução ao cargo. Ricardo Coutinho recebeu a faixa de governador das mãos de um cidadão comum, conhecido no Centro de João Pessoa como 'Seu Pedro da barraca'.
Ricardo Coutinho foi reeleito com 1.125.956 votos, o que representa 52,61% dos votos válidos, contra 1.014.393 votos para seu prinicpal opositor nas Eleições 2014, Cássio Cunha Lima (PSDB), que alcançou 47,39%. Os votos nulos e brancos representaram 7,93% do total e foi registrado 18% de abstenção no estado.
Na cerimônia de posse Ricardo Coutinho falou sobre os desafios da nova gestão (Foto: Kleide Teixeira/Jornal da Paraíba)Na cerimônia de posse Ricardo Coutinho falou sobre os desafios da nova gestão (Foto: Kleide Teixeira/Jornal da Paraíba)
Dos movimentos estudantis ao governo
O socialista de 53 anos nasceu em João Pessoa e é formado em Farmácia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Ele iniciou a carreira política nos movimentos estudantis e sindicais, passando pelo Centro Acadêmico do curso de Farmácia, pelo Sindicato dos Farmacêuticos, pelo Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde do Estado (SindSaúde), pela Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT-PB) e pelo Sindicato dos Funcionários da UFPB.
Filiado ao PT, foi candidato a deputado estadual em 1990, mas não conseguiu a vaga, ficando apenas na suplência. Dois anos depois, foi eleito vereador de João Pessoa. Ele ainda tentou novamente uma vaga na Assembleia Legislativa em 1994, mas ficou na suplência mais uma vez. Em 1996, foi reeleito para o cargo de vereador.
Em seguida, em 1998, foi candidato novamente ao cargo de deputado estadual, sendo que, dessa vez, foi eleito, se reelegendo em 2002. Em 2003, foi expulso do PT e se filiou ao PSB, partido em que permanece até hoje.
No novo partido, se candidatou ao cargo de prefeito de João Pessoa, em 2004, e venceu logo no primeiro turno. Em 2008, foi reeleito, mas renunciou ao cargo para tentar ser governador da Paraíba. Aliado a Cássio Cunha Lima, ele derrotou José Maranhão no pleito e tomou posse no Governo.
Diplomação
O governador, junto com a vice, Ligia Feliciano, foi diplomado no dia 17 pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), em solenidade que aconteceu no Teatro Paulo Pontes. Além dos dois, o senador José Maranhão e dois suplentes; 12 deputados federais e seis suplentes; e 36 deputados estaduais e 12 suplentes também foram diplomados.
Cerimônia ecumênica
O ato religioso foi concelebrado pelo arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, e pelo pastor da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, Estevam Fernandes, no Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural José Lins do Rego.
Ainda o discurso de posse, o governador relembrou os primeiros anos de governo e relacionou alguns desafios para a segunda gestão (Foto: Frederico Martins/G1)Ainda no discurso de posse, o governador relembrou os primeiros anos de governo e relacionou alguns desafios para a segunda gestão (Foto: Frederico Martins/G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário