piemonte fm

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Caminhoneiro leva multa e encontra filha cearense que não via há 15 anos

Policial que aplicou multa via nome do motorista em site de desaparecidos.

Filha que procurava pai pela internet queria dizer que ele iria ser avô.

Do G1 CE, com informações da TV Verdes Mares
Mensagem da filha procurando o pai dizia que ele iria ser avô (Foto: TV Globo/Reprodução)Mensagem da filha procurando o pai dizia que ele iria ser avô (Foto: TV Globo/Reprodução)
Sidor Albrecht, de 57 anos, pode dizer com sorriso estampado no rosto que recebeu uma multa por ultrapassagem irregular. Foi graças à infração que ele localizou a filha cearense Vitória Albrecht, de 17 anos, que não a via desde que era um bebê. A ultrapassagem ocorreu em Campina Grande, na Paraíba, e ele foi parado pela Polícia Rodoviária Federal, que descobriu uma mensagem a mensagem “estou à procura do meu pai” na internet.
“Estávamos atrás do caminhão dele quando ele fez a ultrapassagem nessa ladeira, nessa ladeira aqui na frente, e mais à frente nós o abordamos”, lembra o policial rodoviário Gustavo Grisi. Sidor reconheceu o erro e pediu para ser multado. A multa, segundo Sidor, mudou a sua vida.
Ele recebeu a multa de R$ 957 e foi surpreendido quando os policiais notificaram a base da PRF com os dados do veículo e do motorista. O policial não encontrou o nome de Sidor Albrecht no sistema da Polícia Rodoviária, mas ficou intrigado com o nome diferente e fez uma busca na internet.
Pai e filha se encontram após 15 anos graças a multa de trânsito (Foto: TV Globo/Reprodução)Pai e filha se encontram após 15 anos graças a
multa de trânsito (Foto: TV Globo/Reprodução)
“Quando eu fiz a procura, surgiram alguns resultados. Mas somente um chamou a minha atenção, que foi aquele que apareceu ‘estou á procura do meu pai’”, relata o policial rodoviário Daniel Pereira. Pereira também procurava o pai e o localizou depois de 20 anos. “Nos últimos 20 anos eu também estive a procura do meu pai, então eu sei o que aquela moça estava passando”
A mensagem havia sido escrito há alguns anos por Vitória Albrecht, filha de Sidor e que nunca o conheceu. “Eu sou Vitória, tenho 15 anos, moro em Fortaleza-CE, procuro meu pai, Sidor Albrecht, ele é filho de Alzira Albrecht. Eu gastaria que alguém me ajudasse a encontra meu pai que eu nunca o vi. É que gostaria de conhecer. Ele é caminhoneiro, há anos venho tentando encontrá-lo mas não consigo. Peço até pelo amor de Deus que me ajudem a encontrar, e que ele saiba que vai ser avô de um menino”, dizia a mensagem, em um fórum que ajuda a encontrar pessoas desaparecidas.
Vitória usou site de pessoas desaparecidas para avisar o pai que seria avô (Foto: iFórum/Reprodução)Vitória usou site de pessoas desaparecidas para avisar o pai que seria avô (Foto: iFórum/Reprodução)
A resposta veio neste mês e a princípio ela achou que se tratava de um trote. “Já tinha até me esquecido que eu tinha botado. Pensava que era mentira quando ligaram.” Nesta quarta-feira (10), após ser informado sobre a mensagem da filha pelo policial, ele viajou a Fortaleza e conheceu a filha, que não a via há 15 anos. “Quero que me dê bastante amor, que nunca mais separe de mim. Passou muito tempo longe”, responde a filha.
No reencontro, os dois se emocionam, se abraçam por muito tempo e choram. “Minha filha, como é que você está? Seu pai agora está aqui. Agora o vô tem um netinho também”, diz o pai.
“Tinha que acontecer. Você sabe que Deus escreve certo por linhas torta, então Deus escreveu isso aí. Ele tinha que fazer um erro pra poder encontrar a filha”, relata a mãe de Vitória, Socorro, ao testemunhar o reencontro.
Sidor voltou a viver em Mato Grosso após relação com cearense (Foto: TV Globo/Reprodução)Sidor voltou a viver em Mato Grosso após relação
com cearense (Foto: TV Globo/Reprodução)
Separação
No fim da década de 1990, Sidor terminou o primeiro casamento em Mato Grosso. Nas viagens pelo Brasil, ele se envolveu com a mãe biológico de Vitória em Fortaleza. Ela nasceu, mas os pais não mantiveram relação. Sidor voltou para Mato Grosso, onde se casou novamente.
A mãe de Vitória deixou o bebê no Ceará com a irmã dela, Socorro, e foi trabalhar em Santa Catarina. Dona Socorro assumiu a criação de Vitória. “Eu sinto muito, passei por dificuldades também. Aí as coisas acontecem”, justifica o pai pela ausência ao longo de 15 anos.
tópicos:

Nenhum comentário:

Postar um comentário