piemonte fm

sábado, 25 de outubro de 2014

Suspeito de balear médicas é identificado pelas vítimas e preso em operação conjunta

Serviço de Inteligência da Polícia Rodoviária Federal já vem investigando casos de assalto na BR-101 e possíveis suspeitos, dispondo de um amplo banco de dados com fotos

Polícia | Em 24/10/14 às 19h35, atualizado em 24/10/14 às 20h59 | Por Redação
Reprodução/Instagram
Suspeito detido pela polícia
suspeito de balear duas médicas em tentativa de assalto na BR-101, nas proximidades do distrito de Capim de Mamanguape, na porção norte da Zona da Mata Paraibana, a 41 km da Capital, na tarde dessa quinta-feira (23), foi preso em Santa Rita, na Grande João Pessoa, cerca de 24h depois do crime.

Segundo a Polícia Civil de Mamanguape, a prisão se deu a partir de um trabalho do Serviço de Inteligência da Polícia Rodoviária Federal, que já vem investigando casos de assalto na BR-101 e possíveis suspeitos, dispondo de um amplo banco de dados com fotos. Esse material foi levado para avaliação das vítimas, no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa. Ao observarem as fotos, as médicas conseguiram identificar um dos suspeitos.

A partir de então, agentes da PRF e da Polícia Militar partiram em uma operação conjunta com o objetivo de encontrá-lo. Através de informações levantadas, o suspeito, ao ser localizado em Santa Rita, segundo a Polícia Civil, não ofereceu resistência à prisão. Outro envolvido na tentativa de assalto também é procurado, mas as médicas não o identificaram pois conseguiram enxergar apenas um no matagal. Antes do crime, ainda segundo a PC, os bandidos teriam promovido uma espécie de arrastão contra caminhoneiros que passavam pelo local.

O detido foi encaminhado para prestar depoimento na 6ª Delegacia Distrital de Santa Rita, de onde deverá seguir, segundo a polícia, para o presídio do Roger, em João Pessoa. O processo terá continuidade na comarca que engloba o distrito de Capim. As vítimas, que foram feridas sem gravidade, serão ouvidas pela Justiça quando necessário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário