piemonte fm

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Ricardo desmente boatos espalhados pela oposição e lamenta de tentativa partidarização da UEPB


O governador Ricardo Coutinho (PSB), candidato à reeleição pela coligação A Força do Trabalho, reafirmou na noite desta quinta-feira (16), durante entrevista ao programa ‘Ideia Livre’, exibido pela TV Itararé, de Campina Grande, que repassou, em apenas quatro anos de gestão, R$ 925 milhões para a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), enquanto seu adversário, em 6 anos e 3 meses, aplicou apenas R$ 518 milhões na instituição.
Ricardo classificou de ‘falácia’ a informação propagada pela oposição de que o atual governo havia acabado com a autonomia da UEPB. “A autonomia é tamanha que a UEPB recebe o duodécimo e faz o que bem entende com ele. Eu cheguei a nomear um reitor de um grupo que me era hostil”, destacou. “Então, essa história de dizer que eu tirei a autonomia da UEPB é uma falácia”, completou o candidato da Força do Trabalho.
Ainda durante a entrevista, Ricardo destacou que a UEPB pertence a Paraíba e é a maior formadora de recursos humanos para a área de licenciatura do Estado. “Ao lado da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), a UEPB vem tendo uma participação importante no campo da consolidação da cidade com o polo tecnológico. E, no nosso governo, esse campo vem avançando na prática, e não apenas no discurso”, ressaltou o socialista.
O governador lamentou que na gestão do candidato do PSDB a UEPB tenha se expandindo sem planejamento. “Foi uma expansão de ‘pé quebrado’. O governo do meu adversário abriu cursos na instituição pensando só no momento e, ao sair do cargo, deixou o problema se acumular. Não se pensou em uma turma adiante, só se pensou na turma daquele momento. O quadro de professores e servidores inflou, mas não foi só isso: não se cuidou dos prédios, das instalações. Tudo foi feito em função de perspectivas eleitorais”, enfatizou o candidato do PSB.
Ricardo aproveitou para denunciar a tentativa da oposição em partidarizar uma universidade pública, que não pertence a um grupo político nem a partido A ou B. “É preciso respeitar a universidade! A instituição, que é pública, não pode servir de instrumento para uma campanha política”, observou o governador, acrescentando que aliados do seu adversário ficam dentro da universidade pregando mentiras para tentar confundir a cabeça dos estudantes e da opinião pública. 
“Algumas pessoas ficam dentro das salas de aula pregando boatos, dizendo que não tem xerox ou que o Governo do Estado reduziu o rebasse de verba para a universidade. Isso não é verdade! Todos os anos nós aumentamos o repasse à UEPB”, concluiu Ricardo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário