RADIO PIEMONTE FM

piemonte fm

sexta-feira, 25 de julho de 2014

REVIDE: Ricardo revela herança maldita deixada em área estratégica no Governo Cássio Cunha Lima


REVIDE: Ricardo revela herança maldita deixada em área estratégica no Governo Cássio Cunha Lima
Os candidatos ao Governo do Estado Ricardo Coutinho (PSB) e Cássio Cunha Lima (PSDB) voltaram a trocar farpas em torno das políticas públicas voltadas para a população paraibana. Dessa vez a polemica envolveu a Educação em nosso estado. O socialista revelou ter recebido uma verdadeira herança maldita deixada pela gestão Cunha Lima.

Candidato a governador pela coligação A Vontade do Povo (PSDB, PEN, PSC, PP, PTB, PR, PPS, PSDC, PSD, SDD, PMN, PT do B, PRB e PTN), o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) afirmou que a Paraíba vive uma expressiva redução na oferta do ensino público. “A população assistiu ao fechamento de mais de 200 escolas da rede estadual nos últimos três anos, num profundo desrespeito ao princípio constitucional do direito de todos à educação”, lamentou, em tom de campanha, o tucano disse que fez muito pela Educação: “Levamos o Ensino Médio para mais de 50 municípios nos quais não existia uma sala sequer desta etapa da educação básica”, sentenciou.

O governador Ricardo Coutinho definiu como mentirosa a declaração de seu adversário sobre a redução do número de vagas nas escolas na Paraíba e alfinetou o seu desafeto:

“Não fui eu quem gerou essa situação, mas governos, incluindo o de Cássio, que não tiveram coragem de encarar a realidade para melhorar os serviços prestados na educação pelo Estado”, pontuou, lembrando que: “Encontramos 6 escolas paralisadas e 47 que funcionavam em uma sala ou em pátios de escolas municipais, ampliei para 130 mil vagas no ensino médio”,frisou,

Coutinho fez um diagnostico na Educação local: “Esse plano diz claramente que era preciso cuidar da infraestrutura das escolas e também da identidade própria particularmente ao ensino médio em relação aos anos iniciais do ensino fundamental, ou seja, apregoava o reordenamento como uma condição fundamental de melhoria da escola pública e nós colocamos em prática. Não em função de uma eleição futura, mas sim, de melhorar a educação pública dentro do nosso Estado”, destacou.


PB Agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário