piemonte fm

terça-feira, 22 de julho de 2014

Márcio Braga se reúne com Bandeira e exige saída de Ney e preços baixos


Marcio Braga
Marcio Braga
Presidente do Flamengo nas principais conquistas do clube, Márcio Braga, acompanhado dos conselheiros Lysias Itapicuru e Haroldo Couto, e de ex-presidentes como Hélio Paulo Ferraz e Antônio Augusto Dunshee de Abranches, reuniu-se com o atual mandatário Eduardo Bandeira de Mello e fez as seguintes exigências: a volta de Kleber Leite e Marcos Braz ao controle do departamento de futebol, Isaías Tinoco à frente da base, a imediata demissão de Ney Franco, diminuição dos ingressos e o retorno do futebol rubro-negro à Gávea.
Nas palavras, Márcio Braga, que terminou seu último mandato campeão brasileiro em 2009, não poupou críticas ao modo como o futebol do clube vem sendo conduzido pela atual diretoria. Para ele, o momento é de uma intervenção para evitar a queda para a Série B do Campeonato Brasileiro.
- O Flamengo tem que voltar a ser o Flamengo de antigamente. É intervir no futebol já. Se estávamos avançando em algum sentido administrativo, tudo bem, acho até que pode dar certo, mas no momento, tem que usar esses remédios, frutos da nossa experiência de 30, 40 anos. Assim, não tem clube mais campeão do que o Flamengo. Não é possível continuar com uma boa gestão financeira e uma péssima no futebol. O futebol é que é alma desse clube e se for para a Segunda Divisão ninguém governa isso. E nós não vamos - afirmou Márcio Braga.
Os ex-presidentes cobraram atitudes também com relação às categorias de base. Recentemente, o Flamengo foi goleado por 7 a 1 pelo Fluminense no Campeonato Carioca sub-20. Nada aconteceu com os dirigentes responsáveis, Marcos Biasotto e Carlos Noval, nem com o treinador Marcelo Buarque.
- Tivemos aqui Dida, Liminha, Joel comandando os times da base, depois Carlinhos, Adílio, Andrade, Jayme de Almeida. Treinávamos no campo do Cocotá e em Curicica e fizemos uma pá de jogadores. Hoje, não forma mais e ainda toma de sete do Fluminense, o que nunca aconteceu aqui - comentou Márcio Braga.
Além de ex-presidentes, estavam presentes os conselheiros Sergio Veiga Brito e Rodrigo Dunshee, e Claudio Cruz, um dos fundadores da Raça Rubro-Negra. Márcio Braga liderou o grupo na entrega do documento a Bandeira. Segundo o ex-presidente, não houve manifestação do atual mandatário sobre as reivindicações.
- Ficou calado ouvindo. Não falou nada, mas acho que recebeu bem. Ele teve que sair da sala em um momento e lá estavam presidentes de poderes e vice-presidentes, que disseram que o assunto já estava sendo discutido, pois a informação havia chegado lá antes de mim. É aguardar e ver o dia amanhecer - disse Márcio Braga.

Leia a carta do grupo comandado por Márcio Braga entregue a Bandeira:

"Uma grave crise se instalou no Futebol do Flamengo  
O estopim foram as vergonhosas derrotas a que assistimos sem ter como intervir, devido à total ausência de diálogo com a atual diretoria, agravada pelo afastamento da torcida dos estádios, por causa dos preços estratosféricos dos ingressos, e o não comparecimento de nossa equipe à Gávea para interagir com os associados e torcedores. 

Verifica-se que realmente, o Flamengo continua sem uma estrutura e quadros que consigam reverter este descontrole que afeta o nosso futebol.
 
Ontem, após mais uma derrota vergonhosa, um grupo de ex-presidentes e sócios importantes na história do futebol do clube uniram-se para pedir-lhe hoje, a entrega do departamento de futebol a quem entenda de vitória.

O grupo que o elegeu teve vários ex-presidentes e rubro-negros históricos que estão sofrendo com a quebra da nossa tradição. Porém, o maior compromisso de um rubro-negro deve ser a busca da vitória.
 
Agora chega: não mais nos calaremos ante a incompetência do grupo dirigente de nosso futebol, que contratou 23 jogadores, dos quais apenas um se mostrou eficaz, mas já se foi. Ademais, nosso orçamento está entre os 4 maiores do campeonato brasileiro.
 
É inaceitável que o clube campeão do mundo fique sem liderança e se encontre sob a direção de pessoas ineptas com relação ao nosso maior patrimônio.
 
Precisamos reagir, doa a quem doer.
 
No Futebol do Flamengo não há lugar para incompetentes. Pela indignação visível no quadro social, ou a diretoria muda, ou este processo caminha para desfecho que se desenha dramático.
"
Fonte: globoesporte.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário