terça-feira, 1 de julho de 2014

Coreanos vêm à Capital e discutem sobre investimentos em trânsito e habitação

Projeto prevê intervenções de infraestrutura, urbanismo e habitação em 13 áreas situadas ao longo da Avenida Beira Rio e também da linha férrea
Cidades | Em 01/07/14 às 09h39, atualizado em 01/07/14 às 11h21 | Por Redação
Divulgação
Representantes coreanos e prefeito da Capital
O prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo e diversos secretários da gestão municipal se reuniram, nessa segunda-feira (30), com representantes do Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID) e da empresa coreana Land & Housing Corporation. O grupo discutiu projetos de revitalização de comunidades situadas ao longo da Avenida Beira Rio e da linha férrea. 

Leia também: Vídeo mostra como vai ficar Beira Rio após obras de R$ 4,3 milhões em João Pessoa

O projeto está incluso no Plano de Ação da Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis, que está sendo aplicada na Capital por meio de uma parceria entre o BID, a Caixa Econômica e a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP). 

Leia mais Notícias no Portal Correio

“Este é um programa muito importante, que vai garantir que João Pessoa cresça de forma ordenada e com todo o planejamento necessário”, destacou o prefeito Luciano Cartaxo. “Nesta etapa do projeto ainda temos a alegria de contar com a participação dos coreanos da LH Corporation, que estão trazendo seu conhecimento e experiência em intervenções urbanísticas para a realidade do nosso município”, complementou.

O projeto prevê intervenções de infraestrutura, urbanismo e habitação em 13 áreas situadas ao longo da Avenida Beira Rio e também da linha férrea. No primeiro caso, estão inclusas as comunidades Tito Silva, Brasília de Palha, Liberdade, Miramar, Hildon Bandeira, Santa Clara, São Rafael e Vila Tambauzinho. O segundo grupo corresponde às comunidades Asa Branca, S, Padre Zé e Pé de Moleque, além de um complexo que une a Vila Teimosa, Vem-vem, Beira Molhada e Jardim Coqueiral. 

“Estamos contemplando a estrutura física das comunidades sem deixar de lado a parte social”, explicou o especialista em arquitetura da LH Corporation, Cha Yong-Wook. “Todo o trabalho é feito considerando a história e os hábitos de cada setor. Consideramos as características individuais e elaboramos estratégias que vão resultar em um plano que pode promover uma mudança real nestas áreas”, defendeu. 

O programa

A Iniciativa de Fomento às Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES) lida com desafios em cidades emergentes da América Latina e Caribe. A meta é integrar a sustentabilidade ambiental e fiscal, o desenvolvimento urbano e a governabilidade no intuito de promover o apoio a ações que proporcionem serviços básicos e garantam a proteção ao meio ambiente, qualidade de vida e emprego.

Em João Pessoa, os técnicos das duas entidades têm trabalhado em parceria com a PMJP desde março de 2013. Na primeira etapa do projeto, eles realizaram um estudo profundo da cidade, levantando dados e estatísticas que mostram a demanda real da cidade. “Agora estamos dando andamento ao segundo momento, onde elaboramos projetos que fazem parte de um Plano de Ação, como é o caso dos projetos estruturais para estas comunidades”, explicou a coordenadora-geral do Ices no Brasil, Márcia Casseb. 

A apresentação do projeto foi acompanhada por diversos secretários, como Cássio Andrade, da Infraestrutura, Adenilson Ferreira, da Receita Municipal, e Socorro Gadelha, da Habitação. “Vamos fazer apontamentos bem específicos para viabilizar o projeto, mas com certeza é um plano completamente compatível e adequado a realidade destas comunidades, avaliou”, Socorro Gadelha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário