quarta-feira, 19 de março de 2014

Bloco de Leto antecipa sessão, mantém proibido Shopping Intermares e cidade fica impedida de se desenvolver


Bloco de Leto antecipa sessão, mantém proibido Shopping Intermares e cidade fica impedida de se desenvolver
Ao perceberem a movimentação do líder de oposição na Câmara Municipal de Cabedelo, Júnior Datelle (PMDB), que contestou a emenda inserida no projeto 003, que versava sobre a proibição da construção do Shopping de Cabedelo, o parlamentares da base do prefeito Leto Viana (PTN), se articularam e, ontem mesmo, terça-feira (18), realizaram uma reunião no período noturno para referendar a emenda e manter a proibição do empreendimento em Intermares.

A volta dos trabalhos estava prevista para acontecer apenas amanhã, quinta-feira, 20, mas foi antecipada, em sigilo, e realizada em um anexo do legislativo. Os vereadores Fernando Sobrinho, José Eudes e Júnior Datele foram avisados minutos antes da sessão, mas ainda assim viram derrotado o projeto de lei complementar apresentado pelo bloco de oposição e que pretendia revogar a emenda de Cunha Lima Filho, que proíbe a construção do empreendimento.

A sessão foi tumultuada e Júnior Datele, primeiro secretário da mesa diretora, chegou a ser ameaçado de cassação pelo bloco aliado ao prefeito. A acusação contra ele seria a quebra de decoro por causa da denúncia que fez na imprensa, da manobra perpetrada no dia 23 de dezembro, quando a emenda de Arthur Cunha Lima Filho foi embutida em um projeto original do executivo e que tinha como objetivo disciplinar a construção de galpões no município. Dateli garante que a emenda não foi apresentada, muito menos votada em plenário e que teria "aparecido" apenas quando da publicação no semanário legislativo.

Diante do "misterioso" aparecimento da emenda que proíbe a construção do Shopping Intermares, os vereadores de oposição ao prefeito apresentaram um projeto de lei complementar para derrubá-la por ilegalidade, mas adiantaram que se não tivessem êxito, recorreriam à Justiça, o que deve acontecer agora.


A Lei Complementar nº 46 foi publicada no dia 26 de dezembro, um dia após o feriado de Natal, em edição extraordinária do Quinzenário municipal. A lei enquadra o segmento de shopping centers como 'CSE 20' e também determina que o uso de CSE não será permitido por não se adequar à precariedade da zona de adensamento precário, na qual está inserido o bairro de Intermares, onde o empreendimento seria erguido.


Através de uma nota, o Grupo Marquise informou  que o projeto do Shopping Intermares continua em andamento aguardando aprovação dos órgãos competentes. Segundo sua assessoria de imprensa, a empresa mantém a intenção de investir no município de Cabedelo e no estado da Paraíba com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento da região por meio do crescimento econômico.


A empresa pretende aportar R$ 200 milhões no empreendimento, gerando cerca de seis mil empregos diretos, melhorando a qualidade de vida dos cidadãos e contribuindo para o fomento do empreendedorismo local e a qualidade na prestação de serviços para moradores e turistas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário